Siga o OTD

José Telles - Atletismo

Olimpíada

Há 68 anos, José Telles fazia história no atletismo

Em 20 de julho de 1952, José Telles ganhou a primeira medalha olímpica do atletismo brasileiro ao ser bronze no salto em altura em Helsinque

José Telles fez história no atletismo em 1954 (Divulgação)

Há 68 anos, José Telles fazia história no atletismo

Há exatos 68 anos, o atletismo brasileiro estava em festa. No dia 20 de julho, nos Jogos Olímpicos de Helsinque-1952, o carioca José Telles da Conceição ganhava a primeira medalha olímpica do esporte para o Brasil: bronze no salto em altura. E nesta segunda-feira (20), o feito foi homenageado pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo).

José Telles saltou 1,98 m e ficou a três centímetros do ganhador da medalha de prata, Kenneth Wiesner, e a seis do campeão Walter Buddy Davis, ambos representantes dos Estados Unidos.

+Jogos ‘esquecidos’ de 1906 salvaram o movimento olímpico

Além disso, nos Jogos de Helsinque-1952 , o Brasil ainda ganharia ouro no salto triplo com Adhemar Ferreira da Silva, o primeiro título olímpico do atletismo brasileiro.

José Telles - Atletismo - Helsinque-1952
José Telles no pódio em Helsinque-1954 (Museu do Esporte da Finlândia/COB)

Relembre a trajetória de José Telles

Nascido em 1931, José Telles iniciou no esporte pelo basquete e futebol, mas foi no atletismo que ele ficou marcado na história. Ele foi responsável por estabelecer importantes recordes brasileiros. Saltou 2,00 m em 1954 em São Paulo, no Campeonato Sul-Americano. E nos 200 m, marcou 21s27 nos Jogos Pan-Americanos disputados na Cidade do México, em 1955.

As duas marcas acabaram superadas, mas apenas na década de 1970. No salto em altura, em 1973, com Irajá Chedid Cecy, que marcou 2,01 m, em Brasília; e, nos 200 m, o recorde só foi batido na Olimpíada de Montreal-1976, quando Rui da Silva ficou em quinto lugar, com 20s76.

+SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Além disso, o versátil José Telles alcançou ainda 23 recordes brasileiros em seis provas: 100 m, 200 m, 110 m com barreiras, salto em altura, decatlo e integrou seis equipes recordistas no revezamento 4×100 m. A última marca batida ocorreu em 1956, ao lado de João Pires Sobrinho, Ary Façanha de Sá e Jorge Machado Barros, com 41.70.

Ele encerrou a carreira em 1966 e trabalhou com assessor do antigo Conselho Nacional do Desporto (CND). Telles morreu assassinado no dia 17 de outubro de 1974, aos 43 anos. Os jornais da época contam que ele teria reagido a um assalto em Ramos, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, mas o crime nunca foi esclarecido.

Mais em Olimpíada