Siga o OTD

Atletismo

Brasileiro com nome de ex-presidente russo vence 1500m

Yeltsin Jacques, brasileiro batizado em homenagem a ex-presidente russo, vence 1500m por apenas 38 centésimos na mais emocionante vitória do país nesta terça-feira no atletismo do Parapan

Gabriel Heusi / Lima 2019

Brasileiro com nome de ex-presidente russo vence 1500m

Depois de 52 medalhas conquistadas nos três primeiros dias do atletismo nos Jogos Parapan-americanos, o Brasil teve um dia mais tranquilo no Estádio Atlético, em Lima. Foram “apenas” dez pódios com cinco ouros, quatro pratas e um bronze. Ariosvaldo Fernandes, que tinha ganho os 400m T53 na véspera, foi campeão também dos 100m. Na mesma distância, Fábio Bordignon subiu ao lugar mais alto do pódio na classe T35. Cícero Valdiran levou o título no lançamento de dardo F57. Já Daniel Tavares, apesar de ser bicampeão mundial e medalha de ouro na última Paralimpíada, teve que controlar o medo por conta de uma recente lesão e ganhou os 400m T20, mas a vitória mais emocionante de todas foi de Yeltsin Jacques nos 1500m T12.

Campeão dos Jogos Pan-Americanos de Toronto em 2015, Yeltsin Jacques liderou as duas primeiras voltas da prova, mas, no final da terceira, foi ultrapassado pelo americano Joel Gomez e pelo equatoriano Sixton Moreta, que começaram antes o sprint. O brasileiro, no entanto, não desistiu e apertou o passo, deixou Moreta para trás e foi diminuindo a diferença para Gomez até que, nos últimos metros, conseguiu ultrapassá-lo para ficar com a medalha de ouro.

“Eu consigo sentir uma presença muitas vezes do atleta passando, consigo ver um vulto. Senti que os dois me passaram, um de cada lado. Da mesma forma que eu fui fazer a virada na chegada, eu não sabia, mas tinha a torcida brasileira, que me ajudou muito, me empurrou. Tinha bastante gente do Brasil lá na curva dos 200m. Começaram a gritar vai que é nossa e que o americano tinha quebrado. O pessoal estava vendo , enxergando a expressão dele e a minha expressão. Sabiam que eu estava mais inteiro e que dava para ganhar”, explicou Yeltsin, que é deficiente visual e foi guiado pelos gritos de quem estava na arquibancada para a vitória. “O que garantiu a medalha foi a torcida hoje”, agradeceu o atleta, que foi batizado em homenagem ao ex-presidente da Rússia, Bóris Yeltsin.

“Meu pai era militar na época, era terceiro sargento do exército, e ele fala que o Bóris Yeltsin foi um pacifista. Eu nasci em 1991, época do fim da União Soviética e da guerra fria”, explicou o Yeltsin, que desde o ano passado passou a se dedicar à maratona, prova pela qual pretende conseguir vaga para a Paralimpíada de Tóquio. “Objetivo agora já é focar na maratona de Buenos Aires, dia 22. Estaremos lá querendo fazer um bom resultado e, se Deus quiser, já fazer o índice”, espera o atleta.

Danie Tavares comemora a medalha de ouro nos 400m rasos em Lima (Hector Vivas / Lima 2019)

Quem já tem não só uma Paralimpíada no currículo como já ganhou uma medalha de ouro no Rio de Janeiro, em 2016, é Daniel Tavares. O atleta é também o atual bicampeão mundial (2015 e 2017) nos 400m rasos. Mas, mesmo com tantas conquistas, o paraibano de 27 anos chegou a Lima desconfiado. Por conta de uma lesão muscular, ele só pôde treinar dois meses para os Jogos Parapan-americanos e estava morrendo de medo antes da prova começar.

“Tive uma lesão, então toda aquela confiança passou para insegurança. Eu estava nervoso demais porque aqui é muito frio e eu não gosto de frio. Eu gosto de sol e onde eu moro é sol. Eu estava naquela insegurança, duvidando se eu ia correr bem e se ia ficar no pódio. Mas na hora que eu entrei na pista, eu senti que não tinha vindo aqui à toa e quis dar orgulho para os meus pais e para todas as pessoas que estão torcendo por mim. Então, pude sair com essa medalha linda e agora é aproveitar ao máximo. Agora é só comemorar e comer pizza lá na Vila. Estou morrendo de vontade”, comemorou o atleta, que é deficiente intelectual e conheceu o esporte olímpico em 2013.

Confira todas as medalhas do Brasil nesta terça no atletismo:

5 OUROS

Yeltsin Jacques – 1.500m – t13
Fabio Bordignon – 100m – t35
Daniel Tavares – 400m – t20
Ariosvaldo Fernandes – 100m – t53
Cícero Valdiran – lançamento de dardo F57

4 PRATAS

Mateus Evangelista – salto em distância – T37/38
Verônica Hipólito – 100m – T37
Tascitha Cruz – 100m – T36
Rodrigo Parreira – 100m – t36

1 BRONZE

André Luis da Rocha – arremesso de peso – f53/f54

Mais em Atletismo