Siga o OTD

Vôlei

Brasil demora para engrenar, mas derrota a Rússia em Montreux

Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Após primeiro set ruim, Brasil reage e faz 3 a 1 na Rússia pela estreia no Torneio de Montreux

Nesta terça-feira (4), a seleção brasileira feminina deu um grande passo na preparação para o Mundial da categoria. As comandadas de Zé Roberto Guimarães começaram mal e errando muito diante de uma Rússia bem eficiente. Mas sem desanimar, as brasileiras cresceram na partida, viraram e derrotaram as rivais por três sets a um na estreia do Torneio de Montreux.

Destaque para os 18 pontos de Gabi e os 16 de Rosamaria no ataque. Carol (cinco) e Thaisa (quatro) combinaram para nove pontos de bloqueio. O saque brasileiro funcionou demais e quebrou a recepção russa, que esteve quase perfeita no primeiro set. Foram oito pontos de saque do Brasil contra apenas dois das russas. Nos erros, os dois times terminaram empatados com 28 cada.

O jogo

Não fossem os 8 erros brasileiro no primeiro set, a Rússia jamais teria saído na frente na partida. O saque foi o principal fundamento errado, mas o bloqueio brasileiro passou zerado na primeira etapa. Destaque para Fê Garay e Rosamaria, que viraram bastante bolas no ataque. Gabi também jogou muito, e foi uma válvula de escape importante de Dani Lins.

Suellen mostrou porque é a titular da posição de líbero. Mesmo sem a ajuda do bloqueio, a brasileiro defendeu de tudo quanto é jeito e manteve o Brasil vivo no primeiro set. As brasileiras reagiram na parte final, empataram em 24 a 24, mas, após uma marcação duvidosa da arbitragem, as russas levaram a primeira parcial: 26 a 24.

E o segundo set começou uma verdadeira tragédia para as brasileiras. As russas abriram 4 a 0 e Zé Roberto teve que parar o set logo de cara. A vantagem chegou a ser de 15 a 9. Mas aos poucos, o Brasil foi encontrando o ritmo do ataque russo. Carol e Thaisa desandaram a bloquear, e o set que parecia fora de alcance virou completamente. Foram 8 bloqueios, contra nenhum da primeira parcial

As brasileiras assumiram a ponta no placar e não perderam mais. Uma reação incrível que culminou com a vitória por 25 a 21. Embaladas, as jogadoras da seleção brasileira vieram com tudo para o terceiro set. Carol fazia de tudo: bloqueava, atacava e ainda complicava a recepção russa no saque.

Zé Roberto deixou Garay descansando no banco e colocou Drussyla. Ela sentiu um pouco no começo e o ataque deu uma diminuída no ritmo. Mas o resto funcionava tão bem que o Brasil abriu 19 a 13 na terceira parcial. As russas esboçaram uma reação no final, mas erraram demais no saque e voltaram a perder por 25 a 21.

O quarto set, sem dúvida, foi o mais equilibrado. Nenhuma das equipes conseguiu abrir uma boa vantagem. Sempre que uma das equipes abria dois pontos, a outra respondia imediatamente, e assim foi até o fim. Mais uma vez, o bloqueio brasileiro, principalmente com Thaisa e Carol, fez a diferença.

Drussyla, mesmo não sendo muito eficiente seguiu no jogo, enquanto Garay assistia tudo do banco de reservas. Sorte que Rosamaria e Gabi fizeram um excelente jogo no ataque, e o Brasil fechou a quarta parcial em 25 a 23, vencendo a partida por três sets a um.

Mais em Vôlei