Siga o OTD

Vôlei

Movido a desafios, Bruninho elogia projeto e torcida de Taubaté

O levantador da seleção brasileira volta a jogar no Brasil após passagem vitoriosa na Itália

Bruno Campeão Olímpico Vôlei Taubaté
Bruninho chega para levar Taubaté ao primeiro Campeonato Mundial de sua história (Gaspar Nóbrega/CBV)

O levantador Bruninho fechou contrato com o EMS Taubaté Funvic e será jogador do clube na temporada 2020/21. Com 33 anos, o capitão e titular da seleção brasileira retorna ao Brasil após passagem vitoriosa no vôlei italiano e será treinado pelo técnico argentino Javier Weber. O campeão olímpico na Rio-2016 comentou sobre os motivos que o fizeram escolher jogar por Taubaté.

+ FIVB define junho como mês de retorno das ligas nacionais

“O time de Taubaté respira vôlei e faz um investimento grande não só no profissional, mas também em programas sociais e isso é bem importante. Isso contribuiu para que eu quisesse fazer parte desse projeto, além de ter uma torcida incrível e que faz a diferença”, afirmou Bruninho em entrevista exclusiva ao Olimpíada Todo Dia. O atleta formará dupla de levantadores com Rapha, que renovou seu contrato com o clube.

Campeão da Superliga 2018/19, Taubaté mudou de técnico, com Renan Dal Zotto deixando de ser treinador e a chegada de Weber. O argentino, inclusive, disse que um de seus objetivos pela equipe será disputar o Mundial de Clubes, que seria o primeiro da história da agremiação. “Sou movido a desafios e com certeza poder fazer parte desse momento com o time vai ser gratificante”, garantiu o campeão olímpico.

Coronavírus na Itália e quarentena no Brasil

Bruno Campeão Olímpico Vôlei Taubaté
Bruno estava jogando no vôlei italiano (Facebook/LUBE Volley)

Bruninho vivenciou os primórdios da pandemia de coronavírus na Itália, quando vestia a camisa do Lube Civitanova. O levantador regressou ao Brasil quando o Campeonato Italiano foi cancelado e, desde então, realiza quarentena no seu país e, além dos treinos, faz outras atividades para preencher seu dia.

+ Bicampeã olímpica, Fabi conta histórias das campanhas douradas

“Tenho colocado uma rotina. Acordo as 6h30, treino logo cedo com um personal via câmera e toco meu dia. Além disso, fico em casa, estudo, medito, vejo séries e estou aproveitando para curtir minha casa que sempre é mais difícil. O ruim é ficar sozinho, mas agradeço por estar com saúde”, contou Bruninho, campeão olímpico na Rio-2016.

O coronavírus se alastrou na Itália antes de chegar ao Brasil e o atleta acompanhou de perto o drama do povo italiano e tem propriedade para comentar o assunto. “Precisamos nos adaptar para sair dessa. Não será o mais forte que se dará melhor depois de tudo isso, mas sim aquele que melhor se adaptar. Nada será mais como antes. É hora de ajudar e estender a mão. E, por favor, quem puder, fique em casa!”, concluiu Bruninho.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Bruninho volta ao vôlei brasileiro depois de passagens por Modena e Civitanova, na Itália. Somando os dois clubes, o levantador ganhou sete títulos, com conquistas nacionais, um europeu e um mundial de clubes. No Civitanova, o atleta foi campeão do Campeonato Italiano, da Copa Itália, da Liga dos Campeões e do Mundial.

AGENDA DO DIA

Mais em Vôlei