Siga o OTD

Tóquio 2020

Badminton atualiza as regras de classificação para Tóquio

Por conta da pandemia de coronavírus, a federação mundial da modalidade optou por acrescentar um segundo período de qualificação que começa em 2021

Badminton Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio
A período qualificatório para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio recomeça em 2021 (Divulgação/Rio-2016)

A BWF (Federação Mundial de Badminton) está realizando ajustes em seu calendário depois dos adiamentos e cancelamentos causados pela pandemia de coronavírus. Na semana passada, a entidade divulgou a nova programação de torneios para 2020. E nesta quarta-feira (27) a instituição máxima da modalidade atualizou as regras de classificação para a Olimpíada e Paralimpíada de Tóquio.

+ Em live, treinador da seleção tira dúvidas sobre treinos

“Embora nosso objetivo seja voltar com os torneios internacionais ainda em 2020, optamos por retomar o processo de qualificação olímpica e paralímpica apenas em 2021 para garantir que as restrições de viagens e outros impactos relacionados ao coronavírus interfiram. Consideramos que essa é uma solução justa para todos os atletas. A realização desses torneios será nossa principal prioridade”, disse Thomas Lund, secretário-geral da BWF.

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio foram adiados para 2021 e serão disputados no período de 23 de julho a 5 de setembro. Para confirmar suas novas normas de classificação, a BWF contou com as aprovações do COI (Comitê Olímpico Internacional) e do IPC (Comitê Paralímpico Internacional).

+ Mau aluno na escola, Ygor Coelho tirou 3 diplomas na quarentena

Os Jogos Olímpicos acrescentaram um segundo período de qualificação, começando em 4 de janeiro de 2021 e acabando no dia 2 de maio de 2021. Todos os pontos do ranking que foram conquistados em eventos concluídos durante o período de qualificação olímpico original serão mantidos na lista de classificação para os Jogos de Tóquio.

Novo período de qualificação da Paralimpíada  

Badminton Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio
A BWF divulgou as atualizações das classificações para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio (Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br)

Em 2020, o classificatório para os Jogos Paralímpicos teve apenas um torneio que estava na lista de qualificação que foi cancelado devido ao coronavírus. O evento da Espanha deste ano foi incluído no calendário de 2021 e será inserido no período de 1º de janeiro a 28 de março de 2021, porém, ainda sem data definida para sua realização.

+ Após ascensão estratosférica, Vitor Tavares mira topo do mundo

“Essa mudança permitirá que os jogadores concluam sua corrida planejada para a qualificação paraolímpica. Também permitirá que os jogadores cumpram os critérios de elegibilidade, conforme estabelecido nos regulamentos, que são no mínimo três torneios”, acrescentou Lund, atual dirigente da BWF e ex-jogador da Dinamarca.

+ Campeonato Mundial é adiado para novembro de 2021

Os atletas que ganharam pontos no ranking em competições finalizadas dentro do período de qualificação paraolímpico serão mantidos na lista do Ranking Paraolímpico de Corrida para Tóquio. A BWF ainda trabalha em um novo modelo para o descongelamento dos rankings mundiais para evitar qualquer queda extrema de pontos que afetaria sua estrutura. A entidade deve divulgar em breve as datas dos torneios de 2021.

Brasileiros e o caminho para Tóquio

Badminton Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio
Ygor Coelho é o melhor brasileiro na ranking mundial (Alexandre Loureiro/COB)

Os torneios internacionais de badminton estão suspensos desde meados de março por causa do coronavírus. A situação fez com que a Federação Mundial de Badminton (BWF) tomasse a decisão de congelar o ranking mundial com as posições apresentadas na lista divulgada no dia 24 de março. Com isso, o brasileiro Ygor Coelho permanece entre os 50 melhores da modalidade, mais precisamente como 49º do mundo.

O segundo brasileiro melhor posicionado no ranking é o Jonathan Matias, na 312ª colocação. Gabriel Cury é o terceiro, na 329ª posição, e Artur Pomoceno o quarto, no 333º lugar. Entre as mulheres, a melhor atleta do país é a Fabiana Silva, na 68ª colocação. Em seguida aparece a Jaqueline Lima, na 100ª posição. Samia Lima surge na sequência, no 125º lugar.

O Brasil também pode garantir vagas tanto nas duplas masculinas quanto nas femininas. Entre os homens, Fabrício Farias e Francielton Farias ocupam a 57ª posição. Já entre as mulheres, Jaqueline Lima e Samia Lima aparecem na 47ª colocação no ranking. Nas duplas mistas, Fabrício Farias e Jaqueline Lima estão em 49º lugar.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NOINSTAGRAM E NO FACEBOOK

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio serão os primeiros com a participação do badminton. Os atletas foram classificados em classes para garantir justiça na competição. A modalidade foi dividida em seis classes esportivas: WH 1, WH 2, SL 3, SL 4, SU 5 e SH 6.

Mais em Tóquio 2020