Siga o OTD

Tóquio 2020

Nory aproveita adiamento e passa por cirurgia no ombro

Com o adiamento dos Jogos Olímpicos, Arthur Nory ganhou tempo para fazer uma artroscopia no ombro esquerdo e chegar 100% em Tóquio

Com o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Arthur Nory ganhou tempo para fazer uma artroscopia no ombro esquerdo
Arthur Nory já tem quatro cirurgias nos ombros (Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br)

O ginasta Arthur Nory aproveitou o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021 e a pausa forçada nas competições por causa da pandemia do novo Coronavírus para passar por uma artroscopia no ombro esquerdo. A cirurgia, bem-sucedida, foi realizada nesta sexta-feira (22) no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, pelos ortopedistas Breno Schor e Benno Ejnisman. O atual campeão mundial deve receber alta no sábado (23).

A decisão pela cirurgia foi tomada para que Arthur Nory corrija um incômodo antigo no ombro esquerdo e chegue 100% fisicamente para os Jogos Olímpicos de Tóquio, onde deve brigar pela medalha de ouro na barra fixa, elemento do qual é o atual campeão mundial.

+SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Arthur Nory vai iniciar a reabilitação na próxima semana e deve retomar as atividades físicas em cerca de 20 dias, mas por conta dos recorrentes impactos que o ombro precisa absorver na ginástica artística, o atleta tende a retornar aos treinos completos da modalidade em quatro a seis meses.

“Nory apresenta quadro doloroso no ombro esquerdo, que vem sendo tratado clinicamente há um ano. Realizou tratamento com terapia por ondas de choque, infiltração guiada por ultrassom, fisioterapia, repouso relativo e medicações, sem contudo apresentar melhor significativa”, escreveu a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) em nota.

Histórico de cirurgias

Arthur Nory aproveitou o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para passar por uma cirurgia no ombro e tratar uma lesão que já o incomodava há um ano
Arthur Nory já passou por várias cirurgias no ombro (Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br)

Passar por uma intervenção cirúrgica não é novidade para Arthur Nory. Aos 26 anos, esse é o oitavo procedimento do atleta, mas apenas o primeiro no ombro esquerdo. Ele já operou o tornozelo direito, o dedo indicador da mão esquerda e o olho direito, além de três cirurgias no ombro direito.

Três das quatro cirurgias nos ombros de Arthur Nory, foram realizadas durante o ciclo olímpico de Tóquio. Em dezembro de 2016, o ginasta passou por uma operação para reparar o tendão supra espinhal do ombro direito, que já o incomodava desde antes da conquista do bronze no solo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

+ Nory quer fortalecer ombro e admite preocupação com a lesão

Em novembro de 2017, Arthur Nory foi submetido a uma nova cirurgia para corrigir um problema no tendão do ombro direito após sofrer uma ruptura durante uma competição preparatória para o Mundial de Montreal, no Canadá. Agora, em maio de 2019, o ginasta voltou a ser operado, desta vez no ombro esquerdo.

Arthur Nory passou pela primeira cirurgia no ombro direito após o Troféu Brasil de 2013, quando sofreu um slap, uma lesão que provoca dores crônicas, comum em esportes com rotação do braço. Naquele momento, ele também precisou lidar com microfraturas e tendinite.

Procedimento bem sucedido, diz CBG

No final da tarde desta sexta-feira, a CBG divulgou boletim médico sobre a cirurgia de Arthur Nory:

“Arthur Nory Mariano deverá receber alta hospitalar neste sábado. O ginasta foi submetido a artroscopia do ombro esquerdo no Hospital Israelita Albert Einstein nesta sexta-feira. O procedimento foi executado pelos ortopedistas Breno Schor e Benno Ejnisman.

Segundo relatório médico assinado por Schor, o procedimento transcorreu bem, conforme o planejado, sem apresentar intercorrências.

O início da reabilitação está previsto para a próxima semana. Estima-se que em três semanas os treinos físicos serão retomados. Já o início dos treinos completos de ginástica, sem restrição, deve ocorrer num prazo entre quatro e seis meses.

Mais em Tóquio 2020