Siga o OTD

Surfe

Ítalo Ferreira é destaque no 1º dia de Teahupoo

Ítalo Ferreira tira a maior nota do 1º dia de Teahupoo e se junta a outros 7 brasileiros no round 3.

WSL/Matt Dunbar

O sábado (24), que marcou o primeiro dia da etapa de Teahupoo de 2019, não foi como todos esperavam. Ondas fracas e pequenas para o padrão taitiano e pouco tubulares. No entanto, a organização optou por colocar as 12 baterias do round 1 na água para acelerar o evento, já que o intuito é finalizá-lo até quarta-feira. Dentre os 12 brasileiros, oito já estão garantidos no terceiro round, enquanto quatro vão precisar disputar a repescagem. O grande destaque foi Ítalo Ferreira, que tirou um 7.83 e teve o segundo maior somatório do dia.

Gabriel Medina, Filipe Toledo, Jadson André, Willian Cardoso, Deivid Silva, Yago Dora e Adriano de Souza são os outros sete brasileiros, além de Ítalo Ferreira, que avançaram em suas baterias. Já Jesse Mendes, Peterson Crisanto, Caio Ibelli e Michael Rodrigues competirão na perigosíssima repescagem, que deve acontecer neste domingo (25). A chamada para o evento acontecerá às 14h de Brasília.

+ Confira o ranking do circuito mundial de 2019

Ítalo Ferreira é o melhor brasileiro do dia

Por incrível que pareça, Ítalo Ferreira foi o único brasileiro a vencer sua bateria no dia de hoje. Em um momento em que os tubos ainda davam as caras, o potiguar dominou o havaiano Sebastian Zietz e o francês Kauli Vaast desde o início. Ítalo também tirou a maior nota do dia, 7.83, e fez a segunda maior somatória do dia (atrás apenas do havaiano Ezekiel Lau).

Com a vitória, Ítalo alavancou seu “seeding” para segundo. Isso significa que ele vai para o outro lado da chave e não encontrará o norte-americano Kolohe Andino antes da final. Mais importante que isso, a injeção de moral, para um surfista que nunca passou das quartas de final no Taiti, é fundamental.

Assista aos melhores momentos da bateria de Ítalo:

Medina pega bom tubo e avança em 2º

Grande favorito ao título da etapa, Gabriel Medina não se encontrou em sua estreia, que foi a primeira bateria do dia de competições. Medina viu o australiano Soli Bailey pegar dois bons tubos no início, que lhe garantiram a vitória até o final. O brasileiro até encontrou uma boa onda, de 4.33, mas sua nota de backup foi 1.80. Mas, para sorte de Medina, Peterson Crisanto, praticamente, não surfou. O paranaense tirou 0.77 em sua única tentativa e ficou em 3º na bateria, indo para a repescagem.

Filipe Toledo trava batalha com Duru e passa em 2º

Filipe Toledo entrou na água em um momento de transição do mar. Os surfistas estavam abrindo mão de esperar tubos e já procuravam as manobras. O brasileiro não pensou muito e, desde o primeiro minuto, arriscou batidas e rasgadas. Só não esperava que o francês Joan Duru também adotasse a mesma estratégia e com mais efetividade. Os dois foram se alternando na liderança, até que o francês levou a melhor nos minutos finais. De qualquer forma, o brasileiro avançou na segunda posição para o round 3.

Promessas de perigo, trialistas e convidado têm dificuldade

Os três surfistas que não fazem parte do CT e prometiam trazer perigos para os primeiros colocados do ranking não conseguiram se destacar em suas estreias. Com o mar pequeno, as suas grandes especialidades, que são os tubos, foram raros, o que atrapalhou as performances.

O taitiano Matahi Drollet, convidado da WSL, não chegou nem a ameaçar Kolohe Andino e Yago Dora, que partiram para as manobras sem pensar, enquanto o taitiano ficou aguardando um tubo, que não veio. O havaiano Tyler Newton, 2º colocado da triagem, viveu situação semelhante na bateria que tinha Filipe Toledo e Joan Duru.

Já Kauli Vaast, campeão da triagem, ficou em 2º na bateria de Ítalo Ferreira, que teve Sebastian Zietz eliminado com 1.20. A tendência é que no round 3, as ondas sejam gigantes e, aí assim, eles possam oferecer mais perigo. Isso se Drollet e Newton conseguirem passar pela repescagem e se juntarem a Vaast.

Baterias do round 1 da etapa de Teahupoo

Os dois melhores colocados de cada bateria avançaram:

1. Gabriel Medina (BRA) 6.13 x Peterson Crisanto (BRA) 0.77 x Soli Bailey (AUS) 9.50
2. Jordy Smith (AFS) 3.00 x Adrian Buchan (AUS) 11.50 x Jadson André (BRA) 9.90
3. Kanoa Igarashi (JAP) 8.83 x Caio Ibelli (BRA) 3.70 Adriano de Souza (BRA) 5.50
4. Italo Ferreira (BRA) 12.16 x Sebastian Zietz (HAV) 1.20 x Kauli Vaast (FRA) 7.07
5. Filipe Toledo (BRA) 8.87 x Joan Duru (FRA) 9.37 x Tyler Newton (HAV) 3.54
6. Kolohe Andino (EUA) 11.73 x Yago Dora (BRA) 11.20 x Matahi Drollet (TAH) 5.56
7. Kelly Slater (EUA) 10.63 x Deivid Silva (BRA) 8.66 x Francisco Morais (POR) 8.00
8. Ryan Callinan (AUS) 7.54 x Willian Cardoso (BRA) 9.67Ricardo Christie (NZL) 10.23
9. Julian Wilson (AUS) 11.60 x Michael Rodrigues (BRA) 9.34 Ezekiel Lau (HAV) 12.66
10. Michel Bourez (TAH) 6.90 x Jeremy Flores (FRA) 8.77 x Griffin Colapinto (EUA) 10.50
11. Owen Wright (AUS) 11.33 x Wade Carmichael (AUS) 9.36 x Jesse Mendes (BRA) 6.26
12. Conner Coffin (EUA) 9.67 x Seth Moniz (HAV) 11.70 x Jack Freestone (AUS) 10.13

Baterias do Round 2 (repescagem) de Teahupoo

1. Jordy Smith (AFS) x Sebastian Zietz (HAV) x Matahi Drollet (TAH)
2. Ryan Callinan (AUS) x Caio Ibelli (BRA) x Tyler Newton (HAV)
3. Michel Bourez (FRA) x Peterson Crisanto (BRA) x Frederico Morais (POR)
4. Conner Coffin (EUA) x Michael Rodrigues (BRA) x Jesse Mendes (BRA)

Mais em Surfe