Siga o OTD

Canoagem Velocidade

Cowboy sonha com medalha após histórico de dificuldades

Cortado dos Jogos Paralímpicos Rio-2016 por problema cardíaco, Fernando Rufino conquistou vaga em Tóquio no Mundial de Paracanoagem de 2019

FOCO EM TÓQUIO

Fernando Rufino, mais conhecido como “Cowboy de Aço”, conquistou a vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio de 2021 na prova do caiaque KL2 200 m com o sexto lugar no Campeonato Mundial de Paracanoagem, realizado em Szeged, na Hungria, em 2019. Após superar adversidades durante a vida, o paratleta tem que vencer mais uma para realizar o sonho de conquista uma medalha no maior evento esportivo do mundo.  

+ Referência nas piscinas, Edênia Garcia quer ir além do esporte

“Em 2016, eu já estava com a vaga e não pude participar por causa do problema no coração. Agora, só o que me faltava é esse vírus não me deixar realizar o sonho de conquistar a medalha. Mas, se ele quiser, pode vir, porque aqui tem ferro no corpo por todo lado. Vai ser mais uma história para contar. E tomara que acabe lá em 2021 com as medalhas em Tóquio”, afirmou Fernando Rufino à “Agência Brasil”.

Histórico de adversidades

Fernando Rufino acabou cortado da Rio-2016 por causa de um problema cardíaco, já que os exames constataram uma elevação da pressão arterial. O ex-peão de rodeio, que ingressou na paracanoagem em 2012, sofreu um acidente de ônibus sete anos antes que o deixou paraplégico e o impediu de seguir na carreira. Ele também já sofreu acidentes de moto, na academia, foi pisoteado por um touro, teve a casa atingida por um raio.

+ Prefeitura de São Paulo autoriza reabertura de CT Paralímpico

“Estava em um ônibus. Não sei como a porta abriu e fui parar debaixo dele. O ônibus acabou me moendo. Fui arrastado e tive a lesão medular”, disse. “Em 2018, estava na academia e uma anilha de 20 quilos caiu bem no meu nariz”, lembrou o Cowboy, que contou a história do raio. “Muitas pessoas duvidam, mas foi o pior acidente da minha vida. Três dias depois, eu ainda sentia cheiro de pólvora. Foi um dos que senti mais medo”, acrescentou.

Persistência por objetivo em Tóquio

Fernando Rufino Cowboy Tóquio Medalha
Fernando Rufino sonha com uma medalha paralímpica (Pedro Ramos/Brasil2016.gov.br)

Fernando Rufino está buscando soluções para continuar trabalhando visando uma medalha paralímpico em Tóquio. A pandemia de coronavírus atrapalhou a periodização de treinamentos, mas isso não é um problema para ele, que já superou outras adversidades e, nem por isso, desistiu de seus objetivos.

+ Clodô Silva e Vê Hipólito: Alto rendimento é alto rendimento

“O ser humano não pode desistir diante de nenhuma adversidade. Meu sonho sempre foi estar em uma Paralimpíada. Nem sabia o que era um caiaque, depois fui tomando conhecimento da dimensão do evento. Agora, eu sei que, se existir alguém em Marte, acho que até eles acompanham os Jogos. É algo grandioso. Digo que não tenho a medalha, mas conquistei o cordão da medalha lá no Rio”, comentou o Cowboy.

Duelo com rival brasileiro

O paratleta compete na classe KL2, categoria para pessoas que usam o tronco e os braços na remada. A paracanoagem surgiu em 2009 e o primeiro Mundial foi disputado em 2010, em Poznan, na Polônia. A modalidade ingressou em Jogos Paralímpicos na edição Rio-2016, mas apenas com as disputas no caiaque. Em Tóquio, a canoa também estará presente e deve ter uma disputa acirrada entre brasileiros pelas medalhas na categoria VL2.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Fernando Rufino, que venceu a Copa Brasil em março deste ano, ainda espera por uma decisão oficial de sua vaga em Tóquio nessa prova, já que a pandemia causou algumas alterações na qualificação. Cowboy pode ter ao seu lado Luís Carlos Cardoso, dono de 12 medalhas em Mundiais. “Eu sei que seria uma grande prova. Se acontecer será uma honra dividir a raia com ele, que é um super-heroi do esporte brasileiro”, concluiu.

AGENDA DO DIA

jul 2 03:00 CSI2* Lier CSI2* Contrarrelógio – 1m40 11º lugar 0 pen. 64s20 André Américo de Miranda (Gemke) jul 2 04:00 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 5 anos 17º lugar 5 pen. Pedro de Andrade Costa (Knoxville) jul 2 05:00 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 6 anos 47º lugar 4pen. 28s69 Luís Antônio Rodrigues Neves (Dubai Du Maillet) jul 2 05:00 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 6 anos 70º lugar 9 pen. 37s00 Pedro de Andrade Costa (Evian Z) jul 2 07:30 CSI2* Lier CSI2* Contrarrelógio – 1m45 André Reichmann (Quinetto Z) jul 2 07:30 CSI2* Lier CSI2* Contrarrelógio – 1m45 André Américo de Miranda (Chatel Van de Wolfsakker) jul 2 07:30 CSI2* Lier CSI2* Contrarrelógio – 1m45 Fernando Chiarotto Penteado (Invisible Star) jul 2 08:30 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 7 anos André Reichmann (Hanakine) jul 2 08:30 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 7 anos André Américo de Miranda (Hilfinger Van de Zuuthoeve) jul 2 08:30 CSI2* Lier CSIYH1* Cavalos de 7 anos André Reichmann (Napoleon Van Den Dael) jul 2 09:30 CSI3* Tryon $37,000 Welcome Stake 1.50m Luiz Francisco de Azevedo (My Way) jul 2 09:30 CSI3* Tryon $37,000 Welcome Stake 1.50m Eduardo Menezes (H5 Elvaro) jul 2 09:30 CSI3* Tryon $37,000 Welcome Stake 1.50m Eduardo Menezes (Magnolia Mystic Rose) jul 2 09:40 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Especial Duas Fases – 1,45 m Yuri Mansur (Casaktie) jul 2 10:36 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Especial Duas Fases – 1,45 m Marlon Zanotelli (VDL Edgar M) jul 2 11:00 CSI2* Lier CSI2* Conntrarrelógio – 1m35 Pedro de Andrade Costa (Chicca Blue 3) jul 2 11:00 CSI2* Lier CSI2* Conntrarrelógio – 1m35 Pedro de Andrade Costa (Lord Van Het Moleneind) jul 2 12:20 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Faltas e Tempo – 1,50 m Marlon Zanotelli (Emmerton) jul 2 12:27 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Faltas e Tempo – 1,50 m Yuri Mansur (Qh Alfons Santo Antonio) jul 2 13:15 CSI3* Tryon $1000 1.40 Open Jumper II2.1 Eduardo Menezes (H.Big Action) jul 2 13:15 CSI3* Tryon $1000 1.40 Open Jumper II2.1 Eduardo Menezes (Hot N Spicy) jul 2 13:47 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Faltas e Tempo – 1,50 m Marlon Zanotelli (Icarus) jul 2 13:56 CSI5*/CSI2* St. Tropez CSI5* Faltas e Tempo – 1,50 m Yuri Mansur (Vitiki)

Mais em Canoagem Velocidade