Siga o OTD

Paralímpicos

Brasil tem 14 modalidades classificadas para Tóquio

Futebol de cinco, tiro esportivo, vôlei sentado, tênis de mesa, canoagem, natação já possuem representantes na Paralimpíada

Entre 25 de agosto e 6 de setembro, acontecerá em Tóquio 2020, Japão, a maior edição dos Jogos Paralímpicos de todos os tempos em termos de performances esportivas. Ao todo, serão 539 cerimônias de premiação em 22 modalidades que mobilizarão cerca de 4.400 atletas. A estimativa é de que a delegação brasileira seja composta por 415 pessoas entre atletas e comissão técnica. Até o momento, o Brasil já assegurou 117 vagas em 14 modalidades para o maior evento paradesportivo do mundo na capital japonesa.

Em seu Planejamento Estratégico, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) estabeleceu como meta manter-se entre as dez principais potências do planeta nos Jogos Paralímpicos. O objetivo para Tóquio 2020 é participar com ao menos 18 modalidades e conquistar de 60 a 75 medalhas.

Nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o Brasil arrecadou 72 medalhas no total: 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. O resultado, com o maior número de láureas já conquistadas pelo país em uma edição dos Jogos, deixou a delegação brasileira na oitava colocação no quadro geral de medalhas.

A Seleção Brasileira de futebol de 5 foi a primeira a carimbar o passaporte para a capital japonesa, em junho de 2018, na Espanha, ao tornar-se campeã mundial pela quinta vez. Em seguida, foi a vez do goalball. Na Suécia, o time masculino foi campeão mundial, enquanto o feminino ficou com o bronze. O resultado classificou as equipes para as disputas na capital japonesa. Ainda em 2018, o ciclismo de pista e de estrada garantiram quatro vagas no total, obtidas por meio do ranking mundial.

A primeira vaga conquistada em 2019 foi do tiro esportivo, na etapa de Al Ain da Copa Mundo da modalidade, nos Emirados Árabes Unidos.

Nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, a delegação brasileira realizou uma campanha histórica. O Brasil alcançou a inédita marca de 308 medalhas, sendo 124 de ouro, 99 de prata e 85 de bronze. Foi também no Parapan que as Seleções masculina e feminina de vôlei sentado garantiram vaga em Tóquio, ao arrematarem ouro e prata, respectivamente. Cinco atletas do tênis de mesa também conquistaram as únicas vagas que são nominais até então: Carlos Carbinatti (classe 10); Danielle Rauen (classe 9); Luiz Manara (classe 8); Paulo Salmin (classe 7) e Joyce de Oliveira (classe 4).

A performance brasileira durante os Campeonatos Mundiais que aconteceram em 2019 foi decisiva para a obtenção de mais vagas em Tóquio. Em junho, o tiro com arco garantiu sua primeira vaga, no campeonato que aconteceu na Holanda. Na Húngria, em agosto, a canoagem somou mais quatro vagas para o Brasil. No mesmo mês, na Áustria, foi a vez do remo assegurar três vagas.

No Mundial de Natação, Londres, logo na sequência após o Parapan de Lima, os nadadores arremataram sete vagas. Já em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, em novembro, o atletismo conquistou 35 vagas, sendo 23 masculinas e 12 femininas. Antes disso, a modalidade já tinha garantido uma vaga no Mundial de Maratona, em Londres.

A bocha garantiu nove das dez vagas disponíveis para os Jogos durante a etapa das Américas da BISFed, no CT Paralímpico, em São Paulo.

Novas modalidades
Na próxima edição dos Jogos, duas modalidades farão suas estreias no programa de competições: o parabadminton e o parataekwondo. Ambas estrearam também nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. Na capital peruana, o parabadminton conquistou sete medalhas (três ouros, três pratas e um bronze). O parataekwondo arrecadou cinco (dois ouros, duas pratas e um bronze). A última modalidade já tem uma vaga garantida em Tóquio, conquistada pelo ranking da federação internacional de parataekwondo.

Para se preparem para os Jogos Paralímpicos, o Brasil terá um período de aclimatação, a partir de 3 de agosto, em Hamamatsu, cidade localizada na província de Shizuoka, 260 km ao sul de Tóquio. Com cerca de 790 mil habitantes, Hamamatsu abriga a maior colônia brasileira no Japão, o que motivou o município a interessar-se em receber a delegação nacional. As modalidades que usarão a cidade para preparação são atletismo, bocha, canoagem, esgrima em CR, futebol de 5, goalball, halterofilismo, judô, natação, remo, parabadminton, paratekwondo, tênis em CR, tênis de mesa, tiro com arco, triatlo e vôlei sentado.

Mais em Paralímpicos