Siga o OTD

Mundial de Esportes Aquáticos

Brasil vai à final no revezamento 4x100m livre

Brasil estreia no Mundial com bronze no revezamento 4x100m

O Brasil se classificou para a final do revezamento 4x100m livre no Mundial de Esportes Aquáticos, disputado na cidade de Gwangju, na Coreia do Sul. Neste sábado (20), brasileiros também conseguiram avançar para as semifinais em outras duas provas: 50m borboleta, com Nicholas Santos, e 100m peito, com João Gomes Júnior.

O revezamento brasileiro nadou na preliminar mais disputada. Na raia 4, Marcelo Chierighini, veterano da equipe, fez a transição para Pedro Spajari na primeira posição. Pedro acabou que acabou sendo superado pela Austrália e quando André Calvelo caiu na água o Brasil era o segundo. Ele conseguiu manter a posição ao entregar para Breno Correia, que encerrou a prova em terceiro, com 3:12.97, atrás de Austrália e da Itália. Foi o sexto melhor tempo das eliminatórias.

Com o resultado, o Brasil também garantiu vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, já que os doze melhores tempos do Mundial se classificavam. “O objetivo principal não era esse, mas era uma consequência. O primeiro objetivo era entrar na final independente de raia e agora é descansar”, disse Marcelo Chierighini ao SporTV, após a prova.

“A gente vem treinando muito bem e treinando pra ganhar, a prova tá batendo na trave há muito tempo. Queríamos fazer o arroz com feijão e classificar”, afirmou Pedro Sparaji. A equipe brasileira foi prata na prova em 2017.

Classificados

Nos 50m borboleta, o veterano Nicholas Santos, que vem de duas pratas em Mundias, se classificou para as semifinais da prova com o 11º melhor tempo das eliminatórias. “Não foi uma série boa, mas tô dentro. O objetivo era entrar e eu entrei”, disse o atleta ao SporTV. Vinicius Lanza, que também nadou a prova, não avançou no Mundial, tendo apenas o 28º tempo.

Já nos 100m peito foi João Gomes Junior quem avançou para as semifinais, com o sétimo melhor tempo das eliminatórias. “Gostei da prova, agora é olhar os detalhes que a gente errou. Estou bem feliz com o meu tempo, satisfeito por ter carimbado semifinal e continuar na competição”, disse João após a prova

Ele comentou o que acha que precisa melhorar. “Acho que os meus erros foram mais de fundamento, atenção e velocidade na saída. Mundial são detalhes, não podemos brincar nem bobear senão estamos fora da próxima fase”, declarou. Felipe Lima, que também nadou a prova, acabou eliminado com o 18º tempo.

“Não tive uma boa atuação, mas pelo lado positivo é o meu sexto mundial, tenho que dar a volta por cima, tem outras provas pela frente. Tem o João ainda, agora é torcer pra ele. Me senti muito bem preparado mas infelizmente coisas acontecem, temos que dar a volta por cima e focar nas outras provas”, sintetizou.

Outras provas

Outro brasileiro que competiu neste sábado foi Luiz Altamir, que nadou os 400m livre. Ele começou forte e na virada dos 200m estava na liderança, mas caiu a partir daí. Ele ainda tentou se manter na prova, mas perdeu o contato na última piscina e fechou apenas na oitava posição e com o 15º tempo. Apesar disso, ele teve o melhor tempo da carreira, com o tempo de 3min48s.

Além das provas citadas, neste domingo (21), a partir das 8h, acontecem também as finais dos 200m medley feminino, 400m livre feminino, revezamento 4×100 livre feminino  e 100m borboleta feminino, que tiveram eliminatórias neste sábado, mas sem brasileiras competindo. O destaque fica com a húngara Katinka Hosszu, que teve o melhor tempo do ano na prova na sua eliminatória.

Mais em Mundial de Esportes Aquáticos