Siga o OTD

Individual masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Tênis de Mesa – Individual Masculino

Chances do Brasil

A foto acima é do pódio do torneio individual masculino do tênis de mesa nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015: Hugo Calderano com o ouro, Gustavo Tsuboi com a prata e Thiago Monteiro com o bronze. Tudo dominado pelos brasileiros! Mas será impossível que isso se repita em Lima porque o regulamento deste ano só permite dois mesatenistas por país no torneio. Então, o Brasil será representado pelo campeão e pelo vice da última edição.

Hugo Calderano chega a Lima 2019 muito mais favorito do que era em 2015. Único mesatenista das Américas entre os dez melhores do mundo, o carioca de 22 anos só não sairá da capital peruana como campeão se houver um desastre. O brasileiro é o atual bicampeão da Copa Pan-Americana. Ele só não ganhou o torneio de 2017 porque não participou. O mesmo acontece com o Campeonato Pan-Americano. Ele foi campeão em 2017, mas não participou em 2018, quando o americano Kanak Jha ficou com o título.

Jha aliás é o principal candidato a evitar o domínio brasileiro no pódio do torneio individual masculino do tênis de mesa nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Ele e Gustavo Tsuboi se encontram entre os 40 melhores do mundo, mais ou menos no mesmo nível de ranking, e devem brigar para chegar à final com Hugo Calderano.

Local da competição

Ginásio Polideportivo 1 no Centro Desportivo Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 2.500 torcedores

A estrela dos Jogos

O brasileiro Hugo Hoyama e o dominicano Lin Ju são os maiores vencedores do torneio individual masculino do tênis de mesa na história dos Jogos Pan-Americanos. Cada um ganhou duas medalhas de ouro e uma de bronze. Vale destaque também para o argentino Liu Song, que faturou quatro pódios: uma medalha de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Hugo Hoyama foi bicampeão em Havana 1991 e Mar Del Plata 1995, derrotando em ambas as finais o compatriota Cláudio Kano. Depois de passar em branco em Winnipeg 1999, Hugo Hoyama voltou ao pódio em Santo Domingo 2003 ao ganhar o bronze.

No ano da última medalha de Hugo Hoymana no individual masculino do tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos, começou a era de Lin Ju, da República Dominicana. Ele foi bicampeão em Santo Domingo 2003 e no Rio de Janeiro 2007. A medalha de bronze que o igualou ao brasilero aconteceu em Guadalajara 2011.

Já o argentino Liu Song, único com quatro pódios na história do torneio individual masculino do tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos, foi prata em Winnipeg 1999. Em Santo Domingo 2003, foi bronze. No Rio de Janeiro 2007, ficou de novo em segundo lugar. E o título só veio na quarta tentativa: ouro em Guadalajara 2011.

Nossos pódios

O Brasil é o maior vencedor do torneio individual masculino do tênis de mesa na história dos Jogos Pan-Americanos. Com os dois títulos de Hugo Hoyama e um de Hugo Calderano, o país soma três ouros contra dois de República Dominicana, Estados Unidos e Canadá.

Mas além das três medalhas de ouro, o Brasil faturou mais cinco pratas e cinco bronzes. Tem, ao todo, 13 pódios, mais do que a soma de República Dominicana e Canadá, respectivamente, segundo e terceiro colocados no quadro de medalhas.

A história começou com a prata de Ricardo Inokuchi no individual masculino do tênis de mesa em Caracas 1983. Quatro anos depois, em Indianápolis, Cláudio Kano e Carlos Kawai foram bronze. Em Havana 1991 e Mar Del Plata 1995, Hugo Hoyama e Cláudio Kano fizeram a dobradinha ao ganhar, respectivamente, ouro e prata.

Os únicos Pans sem conquistas no individual masculino do tênis de mesa foram Winnipeg 1999 e Guadalajara 2011. Em Santo Domingo 2003, Thiago Monteiro foi prata e Hugo Hoyama, bronze. No Rio de Janeiro 2007, Thiago Monteiro foi bronze. E em Toronto 2015, Hugo Calderano foi ouro, Gustavo Tsuboi prata e Thiago Monteiro bronze.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1979 Eddie Lo
Canadá
Mario Álvarez
 República Dominicana
Alex Polisois
Canadá
Raymundo Fermin
 República Dominicana
1983 Brian Masters
EUA
Ricardo Inokuchi
Brasil
Mario Álvarez
 República Dominicana
Walter Nathan
Peru
1987 Joe Ng
Canadá
Sean O’Neill
EUA
Cláudio Kano
Brasil
Carlos Kawai
Brasil
1991 Hugo Hoyama
Brasil
Cláudio Kano
Brasil
Horatio Pintea
Canadá
James Butler
EUA
1995 Hugo Hoyama
Brasil
Cláudio Kano
Brasil
Horatio Pintea
Canadá
James Butler
EUA
1999 David Zhuang
EUA
Liu Song
Argentina
Fransisco Arado
Cuba
Jorge Gambra
Chile
2003 Lin Ju
 República Dominicana
Thiago Monteiro
Brasil
Hugo Hoyama
Brasil
Liu Song
Argentina
2007 Lin Ju
 República Dominicana
Liu Song
Argentina
Thiago Monteiro
Brasil
2011 Liu Song
Argentina
Marcos Madrid
 México
Alberto Mino
Equador
Lin Ju
 República Dominicana
2015 Hugo Calderano
Brasil
Gustavo Tsuboi
Brasil
Thiago Monteiro
Brasil
Eugene Wang
Canadá

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Brasil 3 5 5 13
2  República Dominicana 2 1 3 6
3 EUA 2 1 2 5
4  Canadá 2 0 4 6
5  Argentina 1 2 1 4
6  México 0 1 0 1
7  Peru 0 0 1 1
 Cuba 0 0 1 1
 Chile 0 0 1 1
Equador 0 0 1 1

O esporte

tênis de mesa foi inventado no Reino Unido, mais precisamente na Inglaterra no século XIX onde era conhecido como ping-pong, até se tornar uma marca registrada e por isso mudou-se o nome na Europa para tênis de mesa, sendo o nome ping-pong atualmente usado apenas para fins recreativos. É um dos esportes mais populares do mundo em termos de número de jogadores.

Uma partida de tênis de mesa é disputada em melhor de qualquer número de sets ímpares. Usualmente, torneios nacionais são disputados em melhor de 5 sets e torneios internacionais em melhor de 7 sets, o que significa que o jogador ou dupla que vencer, respectivamente, 3 ou 4 sets vence a partida. Para vencer um set, o jogador ou dupla precisa somar 11 pontos ou, em caso de empate em 10 pontos, somar dois pontos de vantagem em relação ao seu adversário.

A partida se inicia com o saque de um dos oponentes conforme a ordem de saque escolhida pelo vencedor do sorteio para tal fim. Cada jogador tem o direito de sacar duas vezes consecutivas independente da pontuação que obtiver. Em duplas, a ordem de saque é alternada entre as duplas e entre os jogadores de modo que cada um dos quatro jogadores saque.

O tênis de mesa é muito popular na China sendo o segundo esporte em popularidade. O país possui cerca de 10 milhões de praticantes federados. Tal popularidade é fruto da massificação promovida pelo líder comunista Mao Tse-Tung devido à adaptação do esporte à espaços reduzidos, ideal para o país mais populoso do mundo.

No mundo, estima-se que há 300 milhões de praticantes ocasionais e cerca de 40 milhões de praticantes federados, distribuídos entre 186 federações filiadas à ITTF, a Federação Internacional de Tênis de Mesa.

AGENDA DO DIA

nov 21 05:30 Japan Cup de handebol feminino França 33 Brasil 22 nov 21 08:00 Etapa de Ribeirão Preto do Circuito Brasileiro de vôlei de praia nov 21 08:00 Japan Cup de handebol feminino Japão 28 Eslovênia 28 nov 21 09:00 Campeonato Brasileiro de tiro esportivo nov 21 09:30 Copa Brasil de Taekwondo Categorias infantil e cadete feminino nov 21 10:15 T2 Diamond Hugo Calderano (BRA) 2 Koki Niwa (JAP) 4 nov 21 11:00 ITF de Cancún Jennifer Dourado (BRA) 0 Jwany Sherif (EUA) 2 nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Cavalo com alças Tomás Florêncio nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Solo masculino Tomás Florêncio nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Solo masculino Leonardo Souza nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Cavalo com alças Leonardo Souza nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Argolas Leonardo Souza nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Argolas Tomás Florêncio nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Salto feminino Thaís Fidélis nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Salto feminino Isabel Barbosa nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Barras Assimétricas Thaís Fidélis nov 21 12:30 Etapa de Cottbus da Copa do Mundo de ginástica artística Barras Assimétricas Isabel Barbosa nov 21 13:00 ITF de Cancún Julia Konishi (BRA)/Taylor NG (EUA) Alexandra Anttila (FIN)/Anfisa Danilchenko (RUS) nov 21 13:30 ITF de Naples Eduarda Piai (BRA)/Renata Zarazua (MEX) Emma Navarro (EUA)/Peyton Stearns (EUA) nov 21 14:00 Copa Brasil de Taekwondo Categorias infantil e cadete masculino nov 21 15:00 ITF de Tucson Gabriela Cé (BRA) Ariana Arseneault (CAN) nov 21 17:50 International Challenge da Escócia de badminton Ygor Coelho (BRA) Maxime Moreels (BEL) nov 21 18:00 ITF de Tucson Gabriela Cé (BRA)/Ingrid Gamarra Martins (BRA) Abigail Amos (GBR)/Kayla Wilkins (EUA) nov 21 19:00 NBB Mogi das Cruzes Basquete Rio Claro nov 21 19:00 Campeonato Paulista de basquete feminino - Primeira Fase Vera Cruz Campinas Ituano nov 21 19:00 Liga Nacional de Handebol Feminino - Conferência São Paulo-Sul Blumenau Cascavel nov 21 19:10 Liga Sul-Americana de Basquete masculino - Grupo F Nacional (URU) Salta Basket (ARG) nov 21 19:30 Campeonato Paulista de basquete feminino - Primeira Fase Santo André/Apaba Pró-Esporte Sorocaba nov 21 19:30 Liga Nacional de Handebol Feminino - Conferência São Paulo-Sul Concórdia Maringá nov 21 20:00 Superliga de vôlei masculino - Primeira Fase América-MG Sesi nov 21 20:00 Liga Nacional de Handebol Masculino - Conferência Sul-Sudeste Maringá Corinthians/Guarulhos nov 21 21:00 NBB Brasília Franca Basquete nov 21 21:30 Liga Sul-Americana de Basquete masculino - Grupo F Ciclista Olímpico (ARG) Botafogo