Siga o OTD

3m sincronizado feminino

 3m sincronizado femininoJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Saltos Ornamentais – 3m sincronizado feminino

Chances do Brasil3m sincronizado feminino

Para a prova dos 3m sincronizado feminino, o Brasil terá uma dupla mesclada pela experiência e a juventude: a veterana Juliana Veloso, de 38 anos, e Luana Lira, de 23. Juliana vai disputar seu sexto Pan-Americano e vai em busca da quarta medalha, enquanto Luana quer subir ao pódio pela primeira vez. Essa mistura pode ser bastante positiva e dupla, que vem obtendo bons resultados, individualmente também, pode surpreender em Lima.

Local da competição

Centro Aquático Pan-Americano

Local: Videna – Vila Deportiva Nacional (Lima)

As estrelas dos Jogos 3m sincronizado feminino

As mexicanas Laura Sánchez e Paola Espinosa reinam absolutas na prova. Desde que os 3m sincronizados foram incluídos no programa dos Jogos Pan-Americanos em 2003, foram três pódios consecutivos da dupla: prata na primeira edição, e ouro em 2007 e 2011. Paola, inclusive, foi campeã mais uma vez, em 2015, desta vez com outra parceira, Dolores Hernandez.

Nossos pódios

A prova foi incorporada no programa dos Pan-Americanos em 2003 e de lá para cá, ao longo das quatro edições realizadas, o Brasil não conseguiu subir ao pódio em nenhuma oportunidade.

Medalhistas

Ano Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
2003 Émilie Heymans
Blythe Hartley

Canadá
Laura Sánchez
Paola Espinosa

 México
Sara Hildebrand
Cassandra Cardinell

EUA
2007 Laura Sánchez
Paola Espinos

 México
Ariel Rittenhouse
Kelci Bryant

EUA
Meaghan Benfeito
Kelly MacDonald

Canadá
2011 Laura Sánchez
Paola Espinosa

 México
Jennifer Abel
Emilie Heymans

Canadá
Cassidy Krug
Kassidy Cook

EUA
2015 Paola Espinosa
Dolores Hernandez

 México
Jennifer Abel
Pamela Ware

Canadá
Deidre Freeman
Maren Taylor

EUA

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1 Mexico México 3 1 0 4
2 United States EUA 1 1 3 5
3 Canada Canadá 0 2 1 3

A prova3m sincronizado feminino

A competição de Saltos Ornamentais é composta por duas fases: uma preliminar e uma final, na qual participam as 12 duplas com maior pontuação. Antes da competição, os saltadores apresentam uma lista dos saltos que irão executar e, caso realizem elementos distintos, não irão pontuar.

A prova acontece em uma piscina de no mínimo 20 x 25m e com 5m de profundidade no seu ponto mais fundo. No local, há ainda uma torre, em que fica o trampolim, uma tábua flexível, fixada a 3m do nível da água. Ele deve ter 50cm de largura e 4,8m de comprimento e ser coberto por um material antiderrapante.

O local deve apresentar ainda uma banheira de hidromassagem. Ela é utilizada para a manutenção da temperatura corporal dos atletas durante o intervalo entre os saltos.

Nas competições femininas, as saltadoras apresentam 5 saltos em cada fase da competição. Os saltos podem ser de frente, costas, pontapé, revirado, parafuso e equilíbrio, e são aliados ainda a mortais e piruetas.

A única diferença nas provas sincronizadas é que os atletas saltam em duplas, e precisam executar os movimentos de forma idêntica e ao mesmo tempo.

Os árbitros avaliam os saltos dando uma nota de zero a dez, sendo descartadas a mais alta e a mais baixa. É levado em consideração pelos juízes: a posição inicial, a saída do trampolim, o voo dos atletas e a entrada na água, além da sincronia da dupla.