Siga o OTD

100m livre masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Natação – 100m livre masculino

Chances do Brasil

Para as disputas dos 100m livre masculino, o Brasil tem Marcelo Chierighini como grande destaque e esperança de medalhas na capital peruana. Em Toronto 2015, última edição do evento, o paulista voltou para casa com o bronze na conta. Desde 2013, foi finalista de diversas competições relevantes no cenário internacional da modalidade, incluindo os Jogos Olímpicos do Rio 2016 e outros três Campeonatos Mundiais. Além do bom retrospecto individual, Chierighini também registra sucesso no revezamento 4×100, sendo vice-mundial há dois anos.

Local da competição

Centro Aquático Pan-Americano
Local: Videna – Vila Deportiva Nacional (Lima)
Capacidade: 4.000 torcedores

A estrela dos Jogos

Maior medalhista da prova, Gustavo Borges é a figura a ser destacada nos 100m livre dos Jogos Pan-Americanos. Com direito a dois títulos de maneira consecutiva, ele brilhou nos torneios de Havana 1991 e Mar Del Plata 1995. O alto rendimento não parou por aí. Mais tarde, ainda faturou dois bronzes nos eventos seguintes (Winnipeg 1999 e Santo Domingo 2003) e totalizou quatro passagens pelo pódio em quatro disputas. A carreira vitoriosa ainda conta com outras duas medalhas olímpicas na categoria em questão.

Nossos pódios

César Cielo levou o ouro no Rio de Janeiro 2007

Juntamente com o grande desempenho de Gustavo Borges, o Brasil já obteve diversos resultados expressivos. José Aranha foi o primeiro a frequentar o pódio com a prata em Cali 1971. Na sequência, Fernando Scherer assegurou bronze e ouro em Mar Del Plata 1995 e Winnipeg 1999, respectivamente. César Cielo igualou Borges ao também conquistar o bicampeonato no Rio de Janeiro 2007 e em Guadalajara 2011. Por fim, Marcelo Chierighini fechou com o terceiro lugar e a medalha de bronze em Toronto 2015.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro TEMPO Medalha de prata TEMPO Medalha de bronze TEMPO
1951 Dick Cleveland
United States EUA
58.8 Ronald Gora
United States EUA
59.5 Nicasio Silverio
Cuba Cuba
1:00.1
1955 Clarke Scholes
United States EUA
57.7 George Park
Canada Canadá
58.7 Carl Woolley
United States EUA
59.3
1959 Jeff Farrell
United States EUA
56.3 Elton Follett
United States EUA
57.2 Bill Woolsey
United States EUA
57.6
1963 Steve Clark
United States EUA
54.7 Steven Jackman
United States EUA
54.8 Daniel Sherry
Canada Canadá
56.1
1967 Don Havens
United States EUA
53.79 Zac Zorn
United States EUA
53.97 Sandy Gilchrist
Canada Canadá
54.85
1971 Frank Heckl
United States EUA
52.80 José Aranha
Brazil Brasil
53.74 Robert Kasting
Canada Canadá
53.76
1975 Richard Abbott
United States EUA
51.96 Jack Babashoff
United States EUA
52.26 Bruce Robertson
Canada Canadá
53.44
1979 David McCagg
United States EUA
50.77 Fernando Cañales
Puerto Rico Porto Rico
51.25 John Newton
United States EUA
51.45
1983 Rowdy Gaines
United States EUA
50.38 Fernando Cañales
Puerto Rico Porto Rico
50.43 Alberto Mestre
Venezuela Venezuela
51.09
1987 Todd Dudley
United States EUA
50.24 Scott McCadam
United States EUA
50.81 Mark Andrews
Canada Canadá
51.24
1991 Gustavo Borges
Brazil Brasil
49.48 Joel Thomas
United States EUA
50.55 Rodrigo González
Mexico México
51.25
1995 Gustavo Borges
Brazil Brasil
49.31 Jon Olsen
United States EUA
49.39 Fernando Scherer
Brazil Brasil
49.79
1999 Fernando Scherer
Brazil Brasil
49.19 José Meolans
Argentina Argentina
49.49 Gustavo Borges
Brazil Brasil
50.10
2003 José Meolans
Argentina Argentina
49.27 George Bovell
Trinidad and Tobago Trinidad e Tobago
49.61 Gustavo Borges
Brazil Brasil
49.90
2007 César Cielo
Brazil Brasil
48.79 José Meolans
Argentina Argentina
49.42 Gabe Woodward
United States EUA
49.59
2011 César Cielo
Brazil Brasil
47.84 Hanser García
Cuba Cuba
48.34 Shaune Fraser
Cayman Islands Ilhas Cayman
48.64
2015 Federico Grabich
Argentina Argentina
48.26 Santo Condorelli
Canada Canadá
48.57 Marcelo Chierighini
Brazil Brasil
48.80

Quadro de medalhas

Posição País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1 United States EUA 10 8 4 22
2 Brazil Brasil 5 1 4 10
3 Argentina Argentina 2 2 0 4
4 Canada Canadá 0 2 5 7
5 Puerto Rico Porto Rico 0 2 0 2
6 Cuba Cuba 0 1 1 2
7 Trinidad and Tobago Trinidad e Tobago 0 1 0 1
8 Cayman Islands Ilhas Cayman 0 0 1 1
Venezuela Venezuela 0 0 1 1
Mexico México 0 0 1 1

O esporte

Nesta prova, o nadador fica em posição horizontal, com a face voltada para o fundo da piscina e respira quando vira a cabeça para as laterais. As pernas agem no movimento parecido com uma tesoura, batendo os pés sobre a água e ao mesmo tempo gira os braços na linha do corpo, alternando-os em batida sobre a superfície da água. Por incrível que pareça, as provas de nado livre, o atleta pode escolher qual o estilo deseja nadar. Porém, todos preferem o crawl porque é o nado que alcança maior velocidade, logo, o crawl é chamado de nado livre e vice-versa.

Nas viradas de cada prova, o nadador deve tocar a parede da piscina com alguma parte do corpo e nas saídas destas viradas, o nadador pode ficar submerso até os primeiros 15 metros, do qual a partir deste ponto a cabeça deve cortar a superfície da água. Vence quem finalizar o percurso primeiro, consequentemente em menos tempo.