Siga o OTD

100m costas feminino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Natação – 100m costas feminino

Chances do Brasil

Campeã na última edição do evento, Etiene Medeiros segue como principal destaque brasileiros para a disputa dos 100m costas feminino. Vale lembrar que aquela foi a primeira e única medalha de ouro do Brasil na categoria. Após o sucesso em Toronto 2015, a pernambucana ainda assegurou prata e bronze nos Campeonatos Mundiais de 2015 e 2017, respectivamente, ambas na categoria dos 50m costas. Visando a manutenção do retrospecto positivo, a expectativa é de que a nadadora de 28 anos brigue diretamente entre as primeiras colocadas no Pan de Lima.

Local da competição

Centro Aquático Pan-Americano
Local: Videna – Vila Deportiva Nacional (Lima)
Capacidade: 4.000 torcedores

A estrela dos Jogos

Apesar de a categoria fazer parte do programa oficial dos Jogos Pan-Americanos desde o ano de estreia (Buenos Aires 1951), apenas uma atleta conquistou o bicampeonato. E foi de maneira consecutiva. Silvia Poll, da Costa Rica, obteve os melhores tempos em Indianápolis 1987 e Havana 1991 e faturou duas medalhas de ouro. Na carreira, ainda fez história ao colocar o país no pódio olímpico pela primeira vez com o desempenho em Seul 1988.

Nossos pódios

Além do título de Etiene Medeiros em Toronto 2015, o Brasil já figurou entre os três melhores colocados por duas oportunidades. Fabíola Molina fechou com o bronze em Mar Del Plata 1995, melhorando o retrospecto ao levar a prata no Rio de Janeiro 2007. Considerando os resultados gerais, as brasileiras ocupam a quarta colocação no quadro de medalhas dos 100m costas.

Medalhistas

 

ANO Medalha de ouro TEMPO Medalha de prata TEMPO Medalha de bronze TEMPO
1951 Maureen O’Brien
United States EUA
1:18.5 Sheila Donahue
United States EUA
1:20.5 Magda Bruggeman
Mexico México
1:21.4
1955 Leonore Fisher
Canada Canadá
1:16.7 Coralie O’Connor
United States EUA
1:17.8 Cynthia Gill
United States EUA
1:17.9
1959 Carin Cone
United States EUA
1:12.2 Sara Barber
Canada Canadá
1:12.3 Christine Kluter
United States EUA
1:12.4
1963 Nina Harmer
United States EUA
1:11.5 Cathy Ferguson
United States EUA
1:13.1 Eileen Weir
Canada Canadá
1:14.5
1967 Elaine Tanner
Canada Canadá
1:07.32 Kaye Hall
United States EUA
1:09.76 Shirley Cazalet
Canada Canadá
1:11.33
1971 Donna Gurr
Canada Canadá
1:07.18 Susie Atwood
United States EUA
1:07.51 Jill Hlay
United States EUA
1:08.49
1975 Lynn Chénard
Canada Canadá
1:06.59 Rosemary Boone
United States EUA
1:07.18 Jenny Kemp
United States EUA
1:07.29
1979 Linda Jezek
United States EUA
1:03.33 Cheryl Gibson
Canada Canadá
1:05.17 Teresa Rivera
Mexico México
1:06.87
1983 Susan Walsh
United States EUA
1:02.48 Joan Pennington
United States EUA
1:03.63 Barbara McBain
Canada Canadá
1:05.38
1987 Silvia Poll
Costa Rica Costa Rica
1:02.18 Holly Green
United States EUA
1:03.15 Michelle Donahue
United States EUA
1:03.30
1991 Silvia Poll
Costa Rica Costa Rica
1:03.15 Nikki Dryden
Canada Canadá
1:03.64 Jodi Wilson
United States EUA
1:03.78
1995 BJ Bedford
United States EUA
1:01.71 Kristy Heydanek
United States EUA
1:03.10 Fabíola Molina
Brazil Brasil
1:04.85
1999 Kelly Stefanyshyn
Canada Canadá
1:02.14 Denali Knapp
United States EUA
1:02.45 Beth Botsford
United States EUA
1:02.48
2003 Diana MacManus
United States EUA
1:02.50 Courtney Shealy
United States EUA
1:02.74 Gisela Morales
Guatemala Guatemala
1:04.56
2007 Julia Smit
United States EUA
1:02.01 Fabíola Molina
Brazil Brasil
1:02.18 Elizabeth Wycliffe
Canada Canadá
1:02.46
2011 Rachel Bootsma
United States EUA
1:00.37 Elizabeth Pelton
United States EUA
1:01.12 Fernanda González
Mexico México
1:02.00
2015 Etiene Medeiros
Brazil Brasil
59.61 Olivia Smoliga
United States EUA
1:00.06 Clara Smiddy
United States EUA
1:00.49

Quadro de medalhas

Posição País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1 United States EUA 9 13 8 30
2 Canada Canadá 5 3 4 12
3 Costa Rica Costa Rica 2 0 0 2
4 Brazil Brasil 1 1 1 3
5 Mexico México 0 0 3 3
6 Guatemala Guatemala 0 0 1 1

O esporte

Nesta prova, os competidores devem se alinhar dentro da água, mantendo-se de frente para a cabeceira de saída, com as duas mãos colocadas nos suportes de agarre do bloco de saída. Os pés podem ficar acima do nível da água.  No sinal de partida, o nadador impulsiona seu corpo para trás, tentando obter o maior avance possível. Ao atleta, é permitido ficar completamente submerso após a saída e em virada por uma distância de até 15 metros. Até esta marca, a cabeça do competidor deverá retornar a superfície. O nadador deverá percorrer toda a distância que determina a prova no menor tempo possível. Na virada, os ombros podem girar além da vertical na direção do peito e, a seguir, uma contínua braçada ou uma contínua e simultânea dupla braçada podem ser usadas para iniciar o movimento. Assim que o nadador tocar a parede e a deixá-la na virada, deve voltar imediatamente na posição de costas. No final da prova, o nadador toca com a ponta dos dedos, na posição de costas, o painel de pontuação ou a parede.