Siga o OTD

Conjunto 5 Bolas

Conjunto 5 BolasJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Ginástica Rítmica – Conjunto 5 Bolas

Calendário

De acordo com a agenda dos Jogos Pan-Americanos, as competições de Conjunto 5 bolas da Ginástica Rítmica estão marcadas para acontecer entre os dias 2 e 4 de agosto.

Chances do BrasilConjunto Geral

O Brasil vai a Lima para manter sua hegemonia. E para tanto, levará uma equipe forte, que deve ser composta por: Deborah Medrado, Nicole Duarte, Camila Rossi, Morgana Gmach, Beatriz Pomini e Vitória Guerra.

Morgana e Beatriz estiveram no grupo que foi ouro em 2015 e vão liderar a nova equipe rumo ao lugar mais alto do pódio.

O resultado mais recente do conjunto foi bastante positivo: medalha de ouro no Campeonato Sul-Americano da Colômbia, realizado em junho deste ano.

Local da competição

Polideportivo Villa El Salvador

Nossos pódiosConjunto Geral

O Brasil reina absoluto na prova de conjunto em que todas as atletas utilizam o mesmo aparelho. Desde 2003, quando ela começou a ser disputada nos Jogos Pan-Americanos, o país foi ouro em todas as ocasiões. Será que neste ano alguém destrona o Brasil, ou iremos ver o pentacampeonato brasileiro?

Medalhistas

 

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
2003  Brasil  Cuba  Canadá
2007  Brasil  Cuba  Canadá
2011  Brasil  EUA  Canadá
2015  Brasil  EUA  Canadá

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Brasil 4 0 0 4
2  Cuba 0 2 0 2
3  EUA 0 2 0 2
4  Canadá 0 0 4 4

A provaConjunto 5 Bolas

Ao todo, a Ginástica Rítmica é composta por cinco aparelhos: Bola, Maças, Arco, Fita e Corda. A cada dois anos, um aparelho é excluído das competições e as provas de conjunto são alteradas.

Nesta prova, todas as ginastas utilizam o mesmo aparelho, que neste ano será a bola. Ou seja, em Lima 2019, a série terá ao todo cinco bolas, uma para cada integrante da equipe, que é composta por seis atletas, sendo que apenas cinco se apresentam.

A bola utilizada pela ginasta é feita de material sintético ou borracha e deve ter um diâmetro de 20cm, pesando pelo menos 400mg. Esta é a única prova da Ginástica Rítmica em que o aparelho não pode ficar em contato contínuo com a atleta, devendo estar em constante movimento pelo corpo ou em equilíbrio.

O manuseio do aparelho é caracterizado ainda por quiques, largadas e retomadas, movimentos em “oito”, além de movimentos de flexibilidade da ginasta, como rolamentos, saltos e giros com a bola sobre o corpo e o chão.

A soma das notas de dificuldade da performance e execução desta determina a pontuação final da série. Na fase classificatória, os conjuntos disputam oito vagas para a final.