Siga o OTD

Kumite 60kg masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Caratê – Kumite 60kg masculino

Chances do Brasil

Dono da medalha de ouro em Toronto 2015, Douglas Brose chega com moral para os Jogos Pan-Americanos na capital peruana. Além de ser o atual campeão e o atleta com maior número de medalhas na categoria até 60kg masculino, o brasileiro também levou a melhor no classificatório para Lima 2019.

Pelo Campeonato Pan-Americano de caratê, realizado em março, no Panamá, Douglas Brose teve ótimo avanço no primeiro dia de lutas e seguiu para a final. Diante do uruguaio Maximiliano Larrosa, Brose triunfou com a contagem mínima (1-0) e fechou com a medalha de ouro. Por já conhecer parte dos rivais que encontrará no Peru, a expectativa é de que o carateca do Rio Grande do Sul brigue novamente por um lugar no pódio dos Jogos Pan-Americanos.

Local da competição

Polideportivo Villa El Salvador

Local: Lima

Capacidade: 6.100 torcedores

Nossos pódios

Douglas Brose conquistou a medalha de ouro em Toronto 2015

O brasileiro Douglas Brose é o grande destaque da categoria, sendo o carateca com maior número de medalhas no peso até 60kg. Ao todo, o gaúcho já levou dois bronzes (Rio de Janeiro 2007 e Guadalajara 2011) e um ouro nos Jogos Pan-Americanos. O título, inclusive, veio na última edição do evento. Há quatro anos, em Toronto 2015, Brose teve grande campanha na caminhada até o primeiro lugar.

Na fase inicial, a estrela dos Jogos confirmou a vaga para a sequência do torneio após registrar duas vitórias e um empate na chave. Pelas semifinais, passou pelo norte-americano Brandis Miyazaki por 3-0. Já no confronto derradeiro, Douglas Brose demonstrou superioridade, derrotou o venezuelano Jovanni Martínez na finalíssima por 4-0 e assegurou a primeira colocação geral, também garantindo o melhor resultado do Brasil.

Além do sucesso de Douglas Brose, o Brasil faturou outro bronze logo na primeira aparição do peso até 60kg na história do Pan. Em Winnipeg 1999, Sidirley Souza avançou às semifinais em terras canadenses e fechou sua participação com a conquista da medalha. O país ocupa o segundo lugar na tabela de maiores vencedores da categoria, atrás apenas de Cuba.

Medalhistas

1999 Yusey Padron
Cuba
Dov Sternberg
EUA
Eduardo Noguera
Venezuela
Sidirley Souza
Brasil
2007 Francisco Nievas
Argentina
Eynar Tamame
Cuba
Douglas Brose
Brasil
Norberto Sosa
 República Dominicana
2011 Andrés Rendón
Colômbia Colômbia
Norberto Sosa
 República Dominicana
Douglas Brose
Brasil
Miguel Soffia
Chile
2015 Douglas Brose
Brasil
Jovanni Martínez
Venezuela
Andrés Rendón
Colômbia Colômbia
Brandis Miyazaki
EUA

Quadro de medalhas

Posição País Ouro Medalha de ouro Prata Medalha de prata Bronze Medalha de bronze Total
1  Cuba 1 1 0 2
2  Brasil 1 0 3 4
3  Colômbia 1 0 1 2
4  Argentina 1 0 0 1
5  EUA 0 1 1 2
 República Dominicana 0 1 1 2
 Venezuela 0 1 1 2
8  Chile 0 0 1 1

O esporte

O objetivo do caratê é derrotar o adversário utilizando socos e chutes para marcar pontos. No final do combate, o competidor com o maior número de pontos é declarado o vencedor (ou antes do fim, caso um deles alcance oito pontos de vantagem sobre o oponente). Os atletas são colocados em categorias de acordo com seu peso.

A duração do kumite é de três minutos para o adulto masculino (individual ou equipe) e de dois minutos para o adulto feminino. A duração nas categorias inferiores depende do critério da organização do evento. A pontuação é limitada às seguintes áreas do corpo do adversário: cabeça, rosto, pescoço, peito, abdômen, lado e costas.