Siga o OTD

Kata individual masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Caratê – Kata individual masculino

Chances do Brasil

Para as disputas do kata individual masculino, o Brasil contará com a presença de Williames Santos. Em abril de 2018, o carateca brasileiro levou a medalha de ouro na categoria nos Jogos Sul-Americanos da modalidade, realizados em Guayaquil, no Equador. No evento, a delegação também confirmou o primeiro posto na classificação do quadro geral de medalhas. A expectativa é que Williames Santos brigue diretamente por um lugar no pódio em Lima 2019.

Local da competição

Polideportivo Villa El Salvador

Local: Lima

Capacidade: 6.100 torcedores

A estrela dos Jogos

Em três edições, o venezuelano Antonio Díaz faturou duas medalhas. Mesmo com a boa campanha em Winnipeg 1999, levou a pior na grande decisão diante do estadunidense Akira Fukuda e ficou com a prata no Canadá. Quatro anos mais tarde, veio a redenção. Em Santo Domingo 2003, Díaz novamente prosseguiu até a finalíssima, desta vez contra Clay Morton, também dos Estados Unidos. No entanto, o resultado foi diferente e Antonio Díaz confirmou o título inédito para a Venezuela na categoria.

Além dos feitos nos Jogos Pan-Americanos, Antonio Díaz, hoje com 39 anos de idade, já liderou o ranking e comemorou o bicampeonato mundial (Belgrado 2010 e Paris 2012).

Nossos pódios

Seleção Brasileira no início da década de 2000. Jurandir Andrade é o primeiro da esquerda

O kata é uma categoria de pouca frequência na história dos Jogos Pan-Americanos. A primeira aparição aconteceu em Mar del Plata 1995, enquanto a última ocorreu em Santo Domingo 2003. Apesar do curto retrospecto na competição, o Brasil já marcou presença no pódio.

Justamente em 2003, Jurandir Andrade avançou às fases finais e terminou entre os quatro melhores atletas do torneio. Na ocasião, voltou da República Dominicana com a medalha de bronze garantida, sendo também a única conquistada pelo país no kata individual masculino.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1995 Christi Chutchurru
Argentina
Fredy Arevalo
Peru
Tredie Allas
EUA
1999 Akira Fukuda
EUA
Antonio Díaz
Venezuela
Akio Tamashiro
Peru
Hector Ortiz
 México
2003 Antonio Díaz
Venezuela
Clay Morton
EUA
Jurandir Andrade
Brasil
Akio Tamashiro
Peru

Quadro de medalhas

Posição País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 1 1 1 3
2  Venezuela 1 1 0 2
3  Argentina 1 0 0 1
4  Peru 0 1 2 3
5  Brasil 0 0 1 1
 México 0 0 1 1

O esporte

Williames Santos será o representante do Brasil no kata masculino (Foto: Abelardo Mendes Jr)

Além do kumite, o caratê também conta com o kata como categoria. Nesta disputa, o lutador pratica os movimentos sozinho, algo semelhante a uma coreografia. As situações são realizadas sob circunstâncias de luta ou combate com um adversário imaginário, obtendo-se, dessa maneira, um melhor aperfeiçoamento das técnicas básicas, condicionamento físico e mental. Os juízes avaliam a performance e a qualidade da apresentação para julgar o resultado.