Siga o OTD

Lançamento de martelo masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Atletismo – lançamento de martelo masculino

Chances do Brasil

Allan Wolski será o único representante do Brasil no lançamento de martelo masculino

Wagner Domingos, o Montanha, é o recordista sul-americanos do lançamento do martelo masculino com 78m63, mas será desfalque de última hora nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Por conta de uma lesão, o atleta pediu dispensa da competição. Com isso, o Brasil será representado na prova apenas por Allan Wolski, que fez o índice para os Jogos Pan-Americanos Lima 2019 com 73m51, abaixo de seu recorde pessoal, que é de 75m22, feito em 2017.

Para chegar a Lima com chances de medalha no lançamento do martelo masculino, ele precisará alcançar uma marca próxima de seu recorde. Caso contrário, terá dificuldades para subir no pódio.

Local da competição

Estádio Atlético Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 12.000 torcedores

A estrela dos Jogos

O americano Al Hall é o maior vencedor da história do lançamento de martelo masculino nos Jogos Pan-Americanos. O atleta dos Estados Unidos foi campeão em Chicago 1959, São Paulo 1963 e Cáli 1971.

Apesar dos grandes resultados em Jogos Pan-Americanos, Al Hall não conseguiu grandes feitos em termos mundiais. Em Melbourne 1956, ele chegou perto da medalha olímpica, mas ficou na quarta colocação. Depois foi 14º. em Roma 1960, 12º. em Tóquio 1964 e em 14º. na Cidade do México 1968.

Nossos pódios

Em toda a história do lançamento de martelo dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil ganhou apenas uma medalha, conquistada por Roberto Chapchap em São Paulo 1963.

ChapChap, que era atleta do Pinheiros, iniciou sua carreira em 1954, encerrando-a aos 30 anos de idade, após 13 de competições. Campeão estadual 11 vezes, brasileiro 6 vezes e sul-americano 4 vezes, a maior conquista veio nos Jogos Pan-Americanos de 1963, em São Paulo, onde encabeçou a delegação brasileira no desfile de apresentação como porta-bandeira, no estádio do Pacaembu.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro MARCA Medalha de prata MARCA Medalha de bronze MARCA
1951 Emilio Ortiz
Argentina
48.04m Manuel Etchepare
Argentina
46.12m Arturo Melcher
Chile
45.70m
1955 Bob Backus
EUA
54.91m Marty Engel
EUA
53.36m Elvio Porta
Argentina
51.45m
1959 Al Hall
EUA
59.71m Hal Connolly
EUA
59.67m Bob Backus
EUA
59.55m
1963 Al Hall
EUA
62.74m Jim Pryde
EUA
58.56m Roberto Chapchap
Brasil
57.92m
1967 Tom Gage
EUA
65.32m Enrique Samuells
Cuba
64.66m George Frenn
EUA
64.08m
1971 Al Hall
EUA
65.84m George Frenn
EUA
65.68m Darwin Piñeyrúa
 Uruguai
61.54m
1975 Larry Hart
EUA
66.56m Ángel Cabrera
Cuba
65.24m Scott Neilson
Canadá
64.56m
1979 Scott Neilson
Canadá
69.64m Armando Orozco
Cuba
68.48m Genovevo Morejón
Cuba
67.66m
1983 Genovevo Morejón
Cuba
65.34m Harold Willers
Canadá
64.22m Alfredo Luis
Cuba
63.16m
1987 Jud Logan
EUA
77.24m Andrés Charadía
Argentina
69.36m Vicente Sánchez
Cuba
66.02m
1991 Jim Driscoll
EUA
72.78m Jud Logan
EUA
70.32m René Díaz
Cuba
68.36m
1995 Lance Deal
EUA
75,64m Alberto Sánchez
Cuba
73,94m Andrés Charadia
Argentina
71,78m
1999 Lance Deal
EUA
79,61m Kevin McMahon
EUA
73,41m Juan Ignacio Cerra
Argentina
70,68m
2003 Juan Ignacio Cerra
Argentina
75,53m James Parker
EUA
74,35m Yosvany Suárez
Cuba
70,24m
2007 James Steacy
Canadá
73,77m Kibwe Johnson
EUA
73,23m Juan Ignacio Cerra
Argentina
72,12m
2011 Kibwe Johnson
EUA
79,63m Michael Mai
EUA
72,71m Noleysis Vicet
Cuba
72,57m
2015 Kibwe Johnson
EUA
75.46m Roberto Janet
Cuba
74.78m Conor McCullough
EUA
73.74m

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 12 9 3 24
2  Argentina 2 2 4 8
3  Canadá 2 1 1 4
4  Cuba 1 5 6 12
5  Brasil 0 0 1 1
Chile 0 0 1 1
 Uruguai 0 0 1 1

A prova

O chamado martelo na verdade é uma esfera de metal – geralmente aço inoxidável ou bronze – com 7,26 kg de peso no masculino e 4 kg no feminino. Ela é presa a um cabo de aço na ponta do qual existe uma manopla, onde o atleta segura para o lançamento. O conjunto esfera, cabo e manopla formam uma unidade de comprimento máximo de 1,2 m. 

O lançamento é feito com o atleta posicionado dentro de uma base de concreto circular de 2,135 metros de diâmetro (7 pés), com um anel metálico ressaltado marcando o diâmetro limite. Para que a distância seja medida, o lançamento precisa ser feito de maneira a que o implemento caia dentro de uma área marcada num ângulo de 34,92° à frente e o atleta não pode sair do círculo antes que o martelo toque o chão após o voo e sempre pela parte traseira dele.

O setor onde se realiza o lançamento de martelo é envolto por três lados por uma gaiola (geralmente revestida por redes), de cerca de dez metros de altura, que protege os espectadores e demais atletas de um lançamento mal sucedido. Após a chamada e permissão do árbitro, o atleta deve adentrar no setor e realizar o movimento de lançamento. O lançamento será invalidado: se os pés do atleta tocarem fora do círculo de 2,135 m, ou sobre a parte superior da borda metálica que o envolve; se o atleta demorar mais de 1 minuto para iniciar o movimento de lançamento; se o implemento for lançado fora do ângulo demarcado junto à grama; se, após realizar o lançamento, o atleta deixar o setor pela metade da frente do círculo.

Como nas demais competições de lançamentos, vence quem lançar o implemento a maior distância. Geralmente os atletas fazem dois ou três rodopios antes de lançá-lo para ganhar mais impulsão. Cada atleta tem três tentativas e, após realizá-las, ficam apenas oito atletas com os melhores resultados para realizar mais três lançamentos. Como resultado final, considera-se a melhor marca entre os seis lançamentos feitos. Em caso de empate, vale a segunda melhor marca do atleta