Siga o OTD

3000m com obstáculos masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Atletismo – 3000m com obstáculos masculino

Chances do Brasil

Altobeli Santos Silva é disparado o nome mais forte do Brasil nos 3000m com obstáculos masculino e ele deve chegar aos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 com boas chances de medalha. Em 2018, ele foi o melhor sul-americano com a marca de 8min29s04 e ficou em 11º. lugar nas Américas. Só que nesta lista, tem nove americanos a frente dele e apenas dois poderão representar os Estados Unidos na prova.

Além do fato que os Estados Unidos não costumam levar para os Jogos Pan-Americanos seus principais atletas, as chances de Altobeli Santos Silva aumentam se ele se aproximar do melhor tempo da carreira, 8min23s67, obtido em 2017, que seria a quarta marca das Américas em 2018.

Local da competição

Estádio Atlético Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 12.000 torcedores

A estrela dos Jogos

O brasileiro Adauto Domingues, bicampeão em Indianápolis 1987 e Havana 1991, é o maior vencedor da história dos 3000m com obstáculos nos Jogos Pan-Americanos. Ele divide a honra com o americano Mike Manley, que colocou no peito a medalha de ouro em Cali 1971 e Cidade do México 1975.

Nossos pódios

Além das duas medalhas de ouro conquistadas por Adauto Domingues, o Brasil ganhou mais uma com Wander Moura em Mar Del Plata 1995. Ou seja, o país dominou o 3000m com obstáculos masculino por três Jogos Pan-Americanos seguidos.

As conquistas vieram com direito a recorde brasileiro e sul-americano. Primeiro, foi Adauto Domingues a quebrar a marca em 1987 com 8min23s26. A marca durou cinco anos e foi quebrada pelo uruguaio Ricardo Rebello em 1992. Mas o recorde sul-americano voltou a ser brasileiro em Mar Del Plata 1995. Wander Moura completou os 3000m com obstáculos em 8min14s41, marca que continua até hoje sendo o recorde dos Jogos Pan-Americanos e também sul-americano.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro TEMPO Medalha de prata TEMPO Medalha de bronze TEMPO
1951 Curt Stone
EUA
9:32.0 Harris Ross
EUA
9:32.0 Pedro Caffa
Argentina
9:44.6
1955 Guillermo Solá
Chile
9:46.8 Santiago Novas
Chile
9:50.4 Eligio Galicia
 México
9:54.2
1959 Phil Coleman
EUA
8:56.4 Charles “Deacon” Jones
EUA
8:56.6 Alfredo Tinoco
 México
8:58.0
1963 Jeff Fishback
EUA
9:07.9 Sebastião Mendes
Brasil
9:12.8 Albertino Etchechury
 Uruguai
9:17.3
1967 Chris McCubbins
EUA
8:38.2 Conrad Nightingale
EUA
8:51.2 Domingo Amaisón
Argentina
8:55.0
1971 Mike Manley
EUA
8:42.27 Sidney Sink
EUA
8:42.90 Héctor Villanueva
 México
8:46.09
1975 Mike Manley
EUA
9:04.29 José Andrade Silva
Brasil
9:05.31 Octavio Guadarrama
 México
9:15.00
1979 Henry Marsh
EUA
8:43.6 William McCullough
EUA
8:44.7 Demetrio Cabanillos
 México
8:52.4
1983 Emilio Ulloa
Chile
8:57.62 Carmelo Ríos
EUA
9:01.47 Greg Duhaime
Canadá
9:06.03
1987 Adauto Domingues
Brasil
8:23.26 Henry Marsh
EUA
8:23.77 Brian Abshire
EUA
8:27.30
1991 Adauto Domingues
Brasil
8:36.01 Ricardo Vera
 Uruguai
8:36.83 Juan Ramón Conde
Cuba
8:37.53
1995 Wander Moura
Brasil
8:14.41 Brian Diemer
EUA
8:30.58 Dan Reese
EUA
8:31.58
1999 Joël Bourgeois
Canadá
8:35.03 Francis O’Neill
EUA
8:35.73 Jean-Nicolas Duval
Canadá
8:39.52
2003 Néstor Nieves
Venezuela
8:34.26 Joël Bourgeois
Canadá
8:36.78 Anthony Famiglietti
EUA
8:40.22
2007 Josh McAdams
EUA
8:30.49 Michael Spence
EUA
8:32.11 José Alberto Sánchez
Cuba
8:36.07
2011 José Peña
Venezuela
8:48.19 Hudson de Souza
Brasil
8:48.75 José Alberto Sánchez
Cuba
8:49.75
2015 Matt Hughes
Canadá
8:32.18 Alexandre Genest
Canadá
8:33.83 Cory Leslie
EUA
8:36.83

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 8 10 4 22
2  Brasil 3 3 0 6
3  Canadá 2 2 2 6
4  Chile 2 1 0 3
5  Venezuela 2 0 0 2
6  Uruguai 0 1 1 2
7  México 0 0 5 5
8  Cuba 0 0 3 3
9  Argentina 0 0 2 2

A prova

3000 metros com obstáculos é uma prova olímpica de meio-fundo disputada em uma pista de atletismo entre barreiras e fossos de água e deriva seu nome original, steeplechase, da antiga e tradicional corrida de cavalos disputada entre obstáculos em campo aberto.

A prova é originária das Ilhas Britânicas, onde corredores corriam de uma cidade para a outra se orientando pelos campanários de suas igrejas, usados como marcos por serem visualizados à grande distância. Durante o percurso, eles tinham inevitavelmente que pular sobre córregos e pequenos obstáculos e muros de pedra separando as propriedades no caminho.

A largada é dada com os atletas lado a lado ou em bloco ocupando toda a largura da pista, sem marcação de raia. O número de voltas na pista padrão de 400 metros depende da posição do fosso d’água obrigatório – fora ou dentro da segunda curva da pista – mas os atletas precisam saltar um número total de 28 barreiras e sete fossos d’água durante a duração da corrida.

As barreiras da prova masculina tem altura de 91,4 cm e as da feminina de 76,2 cm, com uma largura mínima de 3,94 m; o fosso d’água de superfície inclinada tem 3,66 m de comprimento com uma profundidade de 70 cm em sua parte mais funda, exatamente em baixo da barreira até chegar ao mesmo nível da pista ao final do comprimento, o que significa que quanto mais longe o atleta que a ultrapassa conseguir saltar, menos água e pressão contrária pela frente terá nos pés e tornozelos, o que dá vantagem aos melhores saltadores entre os corredores. Diferente das provas de velocidade com barreiras, que caem a qualquer toque, os obstáculos do steeplechase são mais sólidos e pesados e os atletas muitas vezes os usam para pegar impulso da passada na corrida ao invés de apenas saltá-los, especialmente o obstáculo do fosso.