Siga o OTD

Tóquio 2020

Eduardo Barbosa aponta lado positivo de adiamento dos Jogos

Judoca Eduardo Barbosa lamenta pandemia de coronavírus, mas vê lado bom do adiamento dos Jogos para o ano que vem

Eduardo Barbosa Katsuhiro judô tóquio 2020
Bronze por equipes no Mundial de 2019 é momento mais marcante (Marina Mayorova/IJF)

Eduardo Katsuhiro Barbosa é o judoca brasileiro com melhor ranking na categoria até 73 kg e, neste momento, estaria classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. O fato de a competição ter mudado para 2021 por causa da pandemia de coronavírus poderia ser encarado como um aspecto negativo por ele, no entanto, o atleta, 40º melhor do mundo, prefere observar a situação de maneira positiva e está confiante em garantir vaga para sua primeira Olimpíada.

“Estou encarando como mais um ano de oportunidade para evoluir e chegar mais confiante e preparado. Com certeza se fosse em 2020 a situação estava mais favorável para mim, mas prefiro ver o lado positivo. Quero crescer e vou ter mais chances para subir no ranking mundial e adquirir mais experiência nas competições internacionais. Não quero só participar dos Jogos Olímpicos. O meu objetivo é conquistar uma medalha e subir ao pódio”, afirmou o judoca em entrevista exclusiva ao Olimpíada Todo Dia.

O lutador disputa com dois adversários: David Lima (44º) e Marcelo Contini (70º). “A minha categoria, de todas do masculino, é a que mais está aberta. O ranking é bastante dinâmico e preciso subir mais para aumentar minha distância para eles”, comentou.

Confiança em luta contra campeão olímpico

Judoca Eduardo Barbosa está perto de uma vaga para a Olimpíada de Tóquio
Barbosa encara mudança da Olimpíada para 2021 de forma positiva (Marina Mayorova/IJF)

Além dos rivais brasileiros, Eduardo Barbosa destacou a força dos atletas de sua categoria e ressaltou o último campeão olímpico, adversário que enfrentou há menos de dois meses no Grand Slam de Dusseldorf, na Alemanha.

+Gabriel Santos já sonha com pódio em Tóquio

“Não só a minha, mas todas as categorias têm atletas fortes. Em todas as competições que vou a chave está cheia de competidores de alto nível e sei que sempre farei lutas duras. Em fevereiro lutei contra o japonês Shohei Ono, atual campeão olímpico. Fiz uma luta equilibrada, dura e só perdi por detalhes de punição. Isso me deu confiança de que posso lutar contra qualquer um do mundo. Essa luta marcou e meu deu confiança para lutar nas competições internacionais e vencer qualquer atleta que aparecer na minha frente”, disse o judoca. 

Momento marcante e sonho dourado

Nascido em Registro, interior de São Paulo, Eduardo está com 28 anos e o judô sempre esteve presente em sua vida. Passou infância e adolescência vivendo em Hamamatsu, no Japão, país onde viveu seu momento mais marcante na carreira, quando ajudou o Brasil a conquistar a medalha de bronze na competição por equipes do Campeonato Mundial de 2019, disputado em Tóquio.

“O momento que mais me marcou foi no Campeonato Mundial de Tóquio. Infelizmente não consegui a vaga na disputa individual porque tive uma lesão grave no ano passado. Estive na competição por equipe e conquistamos a medalha de bronze. Foi marcante porque o evento foi realizado no mesmo local da Olimpíada e porque passei minha infância e adolescência no Japão. Portanto, competir no Japão representando o Brasil e ainda conquistar a medalha de bronze em um Mundial certamente foi muito especial e deixou uma grande vontade de repetir o feito nos Jogos Olímpicos”, declarou.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Eduardo Barbosa começou a se destacar com título pan-americano, conquistado no Panamá em 2017, o que o levou a convocação para o campeonato mundial do mesmo ano, em Budapeste, o primeiro da carreira, no qual foi convocado para compor a seleção brasileira na competição por equipes, nova disputa olímpica a estrear em Tóquio. “Meu maior sonho é ser campeão olímpico. Desde criança sempre sonhei com isso e esse é meu maior objetivo”, garantiu o judoca.

Mais em Tóquio 2020