Siga o OTD

Judô

Torneios cancelados até o fim de abril por conta do coronavírus

Eventos cancelados faziam parte da corrida classificatória para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Bia Souza e Maria Suelen vão disputar o Grand Slam de Paris de judô
(Gabriela Sabau/IJF)

O surto de Coronavírus não para de atrapalhar os eventos esportivos pelo mundo. A Federação Internacional de Judô (IJF) anunciou, nesta segunda-feira (9), o cancelamento de todos os eventos até abril: o Grand Slam de Ekateringburg e os Grand Prix em Tbilisi, na Georgia, e Antalya, na Turquia.

Na última semana, o Grand Prix de Rubat também foi cancelado pelo governo do Marrocos. Os eventos aconteceriam entre 6 de março e 5 de abril.

No caso do Grand Slam, que contaria com 25 brasileiros, a IJF havia divulgado inicialmente que o torneio aconteceria, porém sem público presente. O Ministério dos Esportes da Rússia também havia liberado os atletas que estivessem sem atestado médico.

“Considerando a importância do evento, o Comitê Organizador está pronto para permitir a participação de quem não possui atestado médico, sob a condição de um exame médico aprofundado na chegada e de exames médicos diários”, disse Oleg Matytsin, Ministro dos Esportes da Rússia.

LEIA MAIS SOBRE O CORONAVÍRUS NO ESPORTE

+ CORONAVÍRUS ADIA INDIAN WELLS E PEGA TENISTAS DE SURPRESA
+ CORONAVÍRUS DEIXA CERIMÔNIA DA TOCHA SEM PÚBLICO NA GRÉCIA
+ CORONAVÍRUS PODE CANCELAR LIGA DAS NAÇÕES 2020, DIZ SITE

Confira a nota da Federação Internacional de Judô na íntegra:

À luz dos novos desenvolvimentos na crise do COVID-19 e da deterioração da situação em muitos países, as viagens se tornaram cada vez mais arriscadas e, assim, se tornaram reuniões públicas.

Estamos na posição infeliz em que devemos tomar uma decisão drástica para proteger a família do judô e também cumprir as medidas gerais de segurança em todo o mundo.

O Comitê Executivo da IJF tomou a decisão de emergência de cancelar com efeito imediato todas as competições do calendário da IJF até 30 de abril de 2020. Isso inclui o Grand Slam de Ekaterinburg na Rússia e o Grand Prix em Tbilisi (GEO) e Antalya (TUR).

Infelizmente, a situação agora é perigosa e crítica sob muitos pontos de vista. É de suma importância manter a família do judô segura nesses tempos difíceis e também garantir chances justas para todos os atletas envolvidos na qualificação olímpica.

Mais informações serão divulgadas nos próximos dias.”

Mais em Judô