Siga o OTD

Pan 2019

Tiro esportivo brasileiro deixa Lima com o alerta ligado

Lima 2019 era o caminho mais fácil para o tiro esportivo brasileiro se garantir em Tóquio 2020. Mas as vagas não vieram e o esporte procura respostas.

Alexandre Loureiro/COB

Cheiro de pólvora e um vazio no ar. O tiro esportivo brasileiro saiu com dois bronzes dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, mas sem nenhuma vaga para Tóquio 2020. A expetativa era conseguir pelo menos uma vaga para a próxima Olimpíada e beliscar mais duas medalhas. As razões para o desempenho são muitas e ainda estão sendo avaliadas pela comissão técnica do Brasil, mas algumas são evidentes.

“Ainda vamos nos reunir e fazer um balanço geral. Estivemos presentes nas 15 disciplinas do tiro. E dessas 15, tivemos dois bronzes, além várias chances de ficar perto de outras medalhas, inclusive prata e ouro, e também de vagas olímpicas. Infelizmente não tivemos a sorte, que às vezes precisa acompanhar o atleta e a delegação. Chegamos tão perto em tantas ocasiões, temos um nível bom, mas pecamos na finalização, mais forte e caprichada para poder alcançar resultados”, disse o chefe brasileiro do tiro esportivo em Lima, Wissam Elias Maalouf.

No Pan de Toronto 2015, a equipe brasileira de tiro esportivo faturou três ouros (Felipe Wu, Cassio Rippel e Júlio Almeida) e uma prata (Emerson Duarte). Mas em Lima 2019, o Brasil ficou no quase por muito pouco na fossa olímpica com Roberto Schmits, que por um erro não conseguiu a vaga para Tóquio 2020. Júlio Almeida também flertou com uma vaguinha na pistola de ar e Emerson Duarte tomou uma punição e perdeu a chance de disputar a final, também na pistola. No skeet feminino, Georgia Furquim era esperada na final e também não se classificou.

Ainda segundo Wissam, esse detalhe entre o resultado e o quase já tem um grande vilão. “No tiro, temos muitas variáveis, mas o psicológico influencia muito na dinâmica, é um esporte individual, cada disparo é uma competição e, às vezes, você tem muito tempo entre um disparo, e entre esses intervalos a cabeça vai embora, ela te atrapalha demais, e a parte psicológica foi a que mais a gente sentiu nesses atiradores que chegaram perto de brigar por medalha, eles foram afetados no psicológico e não conseguiram alcançar um resultado maior.”

Sobre o psicológico e pressão, os atiradores brasileiros também seguiram essa mesma linha. “A gente sempre treina sozinho e são raras as vezes que dividimos os treinos. Chega a hora de definir na final e não estamos conseguindo desempenhar”, disse Emerson Duarte.

Já para Júlio Almeida, os treinos não são suficientes. “Não tem como treinar uma final. É chegar na hora e desempenhar. Temos que saber lidar melhor com o barulho, com a pressão e com a torcida. Ainda temos o que melhorar.”

Agora a delegação brasileira tentará alguma vaga para Tóquio nos dois próximos eventos da Copa do Mundo da ISSF (Federação Internacional de Tiro Desportivo). No tiro ao prato, a competição será na Finlândia, já a partir do dia 15 de agosto. Contudo, a CBTE não pagou para os atletas irem para a competição. Medalhista em Lima 2019, Roberto Schmits está na lista de saída, mas não foi para a Finlândia competir.

Já na pistola e carabina, a competição com vaga para a próxima Olimpíada será no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, de 26 de agosto a 3 de setembro. E a CBTE aposta todas as suas fichas na competição.

“Precisamos de resultado para seguir a diante, para motivar, para desenvolver o tiro, incentivar e inspirar os outros atletas e as próximas gerações. Temos a Copa do Mundo no Rio de Janeiro, é uma chance, é um pouco mais difícil, pois será em nível mundial, mas tem esperança. Vamos lutar até a última oportunidade”, conclui Wissam Elias Maalouf.

Um pouco mais difícil? Muito mais difícil com certeza. O Pan-Americano era o caminho mais fácil para Tóquio e a chance foi perdida. O fator psicológico foi determinante, mas outros elementos pesaram no desempenho e se arrastam há algum tempo no tiro desportivo.

“Tem muito empecilho legal a própria legislação diz que o atirador só pode ter arma a partir de 25 anos, você precisa entrar com uma liminar ou precisa do pai acompanhando, o próprio processo para realizar o esporte é complicado. é o CR, certificado de registro, junto ao exercito, para você comprar arma, munição, transitar com essa arma e munição, e isso tem um peso que faz parte do tiro e é problemático”, disse Maalouf.

E se a legislação dificulta o desenvolvimento do esporte, ela também complica para sua manutenção diária e renovação dos atletas. “O equipamento é todo importado, e se você quiser ter um desempenho satisfatório, tudo de ponta é importado. Vem tudo da Alemanha, da Itália e da Suíça, munição inglesa, tudo é muito caro, isso tudo dificulta a disseminação e isso se reflete na base. Para fazer uma base mais alta. A gente luta em várias frentes e uma delas é a própria legislação brasileira. Precisava uma lei específica para o tiro esportivo, do tiro olímpico, aquela lei que visa o equipamento exclusivo, com isenção de impostos, facilidade de entrada, abrir o mercado de munição. Tudo isso são fatores limitantes para uma base do tiro”, concluiu Maalouf.

Caso o Brasil não consiga nenhuma vaga conquistada para Tóquio 2020, a CBTE espera ganhar algum convite por parte da ISSF (Federação Internacional de Tiro Desportivo). Essa possível vaga viria para o melhor ranqueado brasileiro.

AGENDA DO DIA

jan 29 05:30 Torneio Internacional Indoor de Budapeste de Pentatlo Moderno Qualificação feminina Stephany Saraiva jan 29 05:30 Torneio Internacional Indoor de Budapeste de Pentatlo Moderno Qualificação feminina Priscila Oliveira jan 29 05:30 Torneio Internacional Indoor de Budapeste de Pentatlo Moderno Qualificação feminina Maria Ieda Guimarães jan 29 05:30 Torneio Internacional Indoor de Budapeste de Pentatlo Moderno Qualificação feminina Isabela Abreu jan 29 06:20 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Bruna Takahashi (BRA) 4 Zhu Chengzhu (HKG) 1 jan 29 08:50 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Zhang Kai (EUA) 2 Vitor Ishiy (BRA) 4 jan 29 11:00 ITF de Weston Wilson Leite (BRA) 2 Nicolas Mejia (COL) 1 jan 29 11:10 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Eric Jouti (BRA)/Thiago Monteiro (BRA) 0 Timo Boll (ALE)/Ricardo Walther (ALE) 3 jan 29 11:10 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Vitor Ishiy (BRA)/Gustavo Tsuboi (BRA) 1 Martin Allegro (BEL)/Florent Lambiet (BEL) 3 jan 29 12:00 Challenger de Punta del Este Francisco Cerundolo (ARG) 2 Orlando Luz (BRA) 0 jan 29 12:00 Challenger de Punta del Este Felipe Meligeni (BRA) 2 Gianluca Mager (ITA) 1 jan 29 12:00 ITF de Cancún José Pereira (BRA) 0 Jesse Witten (EUA) 2 jan 29 12:15 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Aleksandar Karakasevic (SER)/Izabela Lupulescu (SER) 3 Vitor Ishiy (BRA)/Bruna Takahashi (BRA) 2 jan 29 12:30 ITF de Weston Alan Kohen (ARG) 0 Daniel Dutra Silva (BRA) 2 jan 29 13:00 Campeonato Romeno de handebol masculino Potaissa Turda (ROM) Drobrogea Sud (ROM) jan 29 13:30 Challenger de Punta del Este Hernan Casanova (ARG) Thiago Wild (BRA) jan 29 13:30 Campeonato Russo de handebol feminino Rostov-Don (RUS) Kuban (RUS) jan 29 14:00 ITF de Cancún Lucas Obeid (BRA) 0 Mark Whitehouse (GBR) 2 jan 29 14:00 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Bruna Takahashi (BRA) 4 Stephanie Loeuillette (FRA) 2 jan 29 14:50 Aberto da Alemanha de Tênis de Mesa Simon Gauzy (FRA) 4 Vitor Ishiy (BRA) 1 jan 29 15:30 ITF de Cancún Ivar Contreras (MEX)/Dominik Palan (TCH) Mateus Alves (BRA)/Ignacio Carou (URU) jan 29 16:00 Champions League de basquete masculino Hapoel Jerusalém (ISR) San Pablo Burgos (ESP) jan 29 16:30 Copa da Itália de vôlei feminino Novara (ITA) Team Monza (ITA) jan 29 17:00 Challenger de Punta del Este Pedro Cachin (ARG)/Carlos Gomez-Herrera (ESP) Felipe Meligeni (BRA)/Diego Hidalgo (EQU) jan 29 17:30 Challenger de Punta del Este Tomas Etcheverry (ARG)/Renzo Olivo (ARG) Pedro Sakamoto (BRA)/Geoffrey Blancaneaux (FRA) jan 29 18:00 WTA de Newport Beach Anna Danilina (KAZ)/Ingrid Neel (EUA) Laura Pigossi (BRA)/Rosalie Van der Hoek (HOL) jan 29 18:00 WTA de Newport Beach Luisa Stefani (BRA)/Hayley Carter (EUA) Sharon Fichman (CAN)/Shelby Rogers (EUA) jan 29 18:00 Challenger de Newport Beach Fernando Romboli (BRA)/Denis Istomin (UZB) Jamie Cerretani (EUA)/Maxime Cressy (EUA) jan 29 18:00 Libertadores de vôlei masculino - Primeira Fase Obras de San Juan Minas Tênis Clube jan 29 19:00 Challenger de Punta del Este Orlando Luz (BRA)/Rafael Matos (BRA) Guilherme Clezar (BRA)/Fabricio Neis (BRA) jan 29 19:00 NBB Bauru Basquete Rio Claro jan 29 20:00 NBB Mogi das Cruzes Franca Basquete jan 29 21:00 Challenger de Punta del Este Mariano Kestelboim (ARG) Thiago Monteiro (BRA) jan 29 21:00 Libertadores de vôlei masculino - Primeira Fase Sesi Ciudad Voley (ARG) jan 29 21:00 NBA Indiana Pacers Chicago Bulls jan 29 21:30 NBA New York Knicks Memphis Grizzlies jan 29 23:00 NCAA - Basquete feminino universitário Kansas Kansas State

Mais em Pan 2019