Siga o OTD

Ciclismo Mountain Bike

Pneu furado frusta favorito Avancini, que fica com a prata

Depois de enfrentar problemas durante a prova, Henrique Avancini desabafa após o Pan: “é uma grande frustração”

Reprodução/Instagram

Logo depois da medalha de bronze de Jaqueline Mourão, Henrique Avancini entrou em cena para a corrida do naipe masculino deste domingo (28). Apesar de enfrentar problemas técnicos e ter um pneu furado na reta final, ele conseguiu manter o ritmo e ainda assegurar a medalha de prata no cross country dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. Guilherme Muller também competiu e terminou com a quinta colocação geral.

Melhor colocado das Américas e terceiro melhor do mundo no ranking, Henrique Avancini entrou no Pan como o principal favorito na corrida pela medalha de ouro. No início, de fato comprovou o grande momento vivido na carreira e brigou diretamente pela liderança da prova com José Ulloa Arevalo, do México.

Entre a quinta e a sexta voltas, o carioca enfrentou problemas com a bicicleta. Ao furar o pneu, rapidamente caiu para o terceiro lugar e ficou distante do título. Ainda assim, mesmo em situação complicada, manteve a segurança durante o trajeto do Circuito Morro Solar e apostou todas as fichas na última tentativa. E deu certo.

De maneira categórica, Henrique Avancini ultrapassou o chileno Martín Vidaurre e voltou a sonhar com o título. Algo que não aconteceu. De qualquer forma, cresceu técnica e fisicamente apesar das dificuldades. Ao cruzar a linha de chegada, fechou com o tempo total de 1h27m08, cerca de dois minutos atrás do rival mexicano. O próprio Vidaurre completou o pódio (1h27m31).

“Faz parte do esporte, faz parte do contexto da modalidade. Embora eu tenha largado para sair com o ouro hoje para o Brasil, acho que a prata era o máximo disponível dentro das circunstâncias. Logo na largada eu arrebentei o cabo da suspensão, tive que fazer a prova sem o acionamento da suspensão. Para nós, é uma desvantagem considerável. Consegui adaptar bem a minha pilotagem ao estilo do Ulloa. Fisicamente ele estava muito bem, mas na técnica eu ainda conseguia neutralizá-lo um pouco. No meio da prova eu acabei furando o pneu traseiro no pior ponto possível da pista, que era logo após a área de apoio mecânico”, avaliou Avancini.

“Eu costumo dizer que competir é aprender. Tiro lições desse dia. Falando da prova em si, é uma grande frustração pelo nível que eu venho competindo na temporada. Hoje eu larguei pelo ouro, acho que ficou claro que eu tinha condições disso. Não dá para mentir. Obviamente eu tiro o lado positivo do esporte, tiro as lições que a competição me oferece, mas também não deixa de ser uma frustração”, complementou.

Guilherme Muller, por sua vez, realizou uma corrida consistente. Flertou com o pódio em determinados momentos, mas não alcançou o objetivo. De qualquer forma, registrou bom desempenho nos Jogos Pan-Americanos. O quinto lugar veio com o tempo de 1h30m36.

Mais em Ciclismo Mountain Bike