Siga o OTD

Curiosidades olímpicas

Criador dos Jogos era contra esportes coletivos e mulheres

Conheça a história do Barão de Coubertin, o responsável pela criação dos Jogos Olímpicos da Era Moderna

Barão de Coubertin criador dos Jogos Olímpicos (Foto- Creative Commons)

Inspirado nas Olimpíadas da Grécia Antiga, Barão de Coubertin foi o criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, que foram disputados pela primeira vez em 1896. Foi ele o responsável por colocar no papel os ideiais do Olimpismo como um estilo de vida associado ao esporte, à cultura e à educação. Apesar disso, não via com bons olhos a presença de esportes coletivos na programação e era contra a participação de mulheres como atletas nas competições.

Nascido em Paris em 1º. de janeiro de 1863, filho de família aristocrática, o criador dos Jogos Olímpicos foi batizado como Pierre de Frédy. Depois, passou a ser conhecido como Barão de Coubertin, adotando o nome de uma propriedade da família, que ficava nos arredores da capital francesa.

+ CRIADOR DOS JOGOS VIROU NOME DE PRÊMIO OFERECIDO PELO COI

As inspirações de Coubertin para se transformar no criador dos Jogos Olímpicos foram a obra do inglês Thomas Arnold, um dos precursores do esporte moderno, e as escavações do alemão J. J. Winckelmann, que encontrou em Olímpia as ruínas do estádio onde eram disputadas as Olimpíadas da Grécia Antiga.

Barão de Coubertin teve influência também de William Penny Brookes e de Evangelis Zappas, que organizaram competições parecidas, respectivamente, na Inglaterra e na Grécia em meados do século XIX.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Em 1892, Coubertin fez uma apresentação, na Universidade de Sorbonne, em Paris, de um estudo sobre os exercícios físicos no mundo moderno e também sobre o desejo de reviver os Jogos Olímpicos. Mas o apoio, para valer, só veio dois anos depois, quando foi realizado o que foi considerado o primeiro Congresso Olímpico. Era o dia 23 de junho de 1894, data em que nasceram os Jogos Olímpicos da Era Moderna.

PRIMEIRA EDIÇÃO EM ATENAS

O sonho de Barão de Coubertin, criador dos Jogos Olímpicos, se realizou em Atenas-1896
O sonho do Barão de Coubertin se realizou pela primeira vez em Atenas-1896 (Getty Images)

A primeira edição foi disputada em 1896, em Atenas, na Grécia. O criador dos Jogos Olímpicos foi presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), que ele mesmo fundou, de 1896 até 1925.

+ CONHEÇA O BLOG “CURIOSIDADES OLÍMPICAS”

No período em que ele foi o presidente do COI, foram disputadas oito edições dos Jogos Olímpicos e uma que acabou cancelada, em 1916, por conta da Primeira Guerra Mundial.

Exímio atirador na juventude, Coubertin fez questão de incluir o tiro no programa da Olimpíada de Atenas-1896. Aliás, nesta edição, apenas esportes individuais foram disputados e a competição foi somente masculina.

CONTRA MULHERES

A primeira vez que mulheres foram aceitas como atletas nos Jogos Olímpicos foi em Paris-1900. Foi um desgosto para Barão de Coubertin, que era contra a presença delas e soltou uma frase que ficou famosa: “É indecente ver mulheres torcendo-se no exercício físico do esporte”.

Mas as primeiras edições das Olimpíadas estavam longe do sucesso dos tempos atuais. Em Atenas-1896, a desorganização foi a marca registrada. Em Paris-1900 e Saint Louis-1904, os Jogos se estenderam por longos cinco meses e passaram completamente despercebidos porque foram disputados integrados a exposições mundiais que aconteceram simultaneamente nas cidades-sede.

Em Saint Louis, inclusive, o Barão de Coubertin se recusou a participar da cerimônia de abertura. Apesar dos apelos do presidente americano, Theodore Roosevelt, o criador dos Jogos Olímpicos não quis estar presente porque defendia que a competição fosse disputada em Chicago.

Apesar de ser contra a participação de mulheres, o Barão de Coubertin via com bons olhos a integração racial que poderia ser provocada pelos Jogos Olímpicos. Em Saint Louis, pela primeira vez, negros participaram da Olimpíada.

Mas foi de forma vergonhosa! Dois zulus semi-selvagens, Len Taunyane e Jan Mashiari, estavam na cidade para participar de uma exposição sobre a Guerra dos Bôeres, confronto armado que aconteceu na Cidade do Cabo, na África do Sul, e acabaram sendo colocados para correr a maratona. Ele disputaram a prova descalços e com chapéus de palha, provocando risos do público americano.

Ao saber da gozação para cima dos negros, o Barão de Coubertin soltou a profecia: “O negro, o vermelho e o amarelo ainda aprenderão a correr, a saltar e a arremessar muito melhor do que o branco”.

O criador dos Jogos Olímpicos tinha toda a razão, mas a virada, para valer a favor das Olimpíadas como evento reconhecido mundialmente, começou em Londres-1908 com a experiência britânica na organização de eventos esportivos. Pela primeira vez, foi construído um estádio olímpico e os atletas da natação nadaram numa piscina.

OS JOGOS OLÍMPICOS EMBALAM

Em Estocolmo-1912, os Jogos Olímpicos se consolidaram de uma vez por todas. Os suecos realizaram uma edição considerada modelo de organização, que fez com que o Barão de Coubertin se animasse com o sucesso do evento para os anos posteriores. Pela primeira vez, atletas dos cinco continentes estiveram presentes, sistema de alto-falantes foram utilizados para anunciar os vencedores e o photo finish, aparelho usado na linha de chegada para tirar dúvidas em relação à colocação dos atletas, estreou.

O sucesso fez os Jogos Olímpicos sobreviverem à Primeira Guerra Mundial. Apesar do cancelamento da edição de 1916, que seria disputada em Berlim, a competição voltou com tudo em Antuérpia-1920 e, depois, em Paris-1924. Na França, houve, pela primeira vez, uma cobertura maciça da imprensa internacional e, curiosamente, foi no ano em que a Olimpíada voltou à sua terra natal que o Barão de Coubertin se afastou da presidência do COI.

RESISTÊNCIA AO BASQUETE

Apesar disso, o criador dos Jogos Olímpicos continuou como presidente de honra do COI até sua morte. Em 1935, participou de um episódio curioso. O basquete foi reconhecido para ser admitdo em Berlim-1936, mas esbarrou na resistência do Barão de Coubertin. Ele era contra a entrada de esportes coletivos. “A Olimpíada foi ressuscitada para os atletas individuais. Os esportes coletivos não têm lugar”, costumava bradar, apesar de que polo aquático, hóquei na grama e futebol já faziam parte do programa.

Apesar da oposição do Barão, o basquete foi aprovado e, junto com o handebol de campo, entrou no programa de Berlim-1936. Um ano depois, aos 73 anos, o criador dos Jogos Olímpicos faleceu em Genebra. Seu corpo foi enterrado em Lausanne, sede do COI, mas seu coração foi sepultado separadamente, num monumento perto das ruínas da antiga Olímpia, sede das Olimpíadas da Grécia Antiga.

Mais em Curiosidades olímpicas