Siga o OTD

Curiosidades olímpicas

Imperador romano acabou com Jogos Olímpicos na Grécia Antiga

Após transformar o cristianismo na religião oficial do Império Romano, Teodósio I resolveu acabar com os Jogos Olímpicos, que eram feitos em homenagem aos deuses gregos

Os Jogos Olímpicos da Grécia Antiga foram disputados, de forma ininterrupta, por 293 edições em que cidadãos livres das cidades-estado participavam de competições em cinco grupos de modalidades esportivas e apenas o campeão de cada prova era premiado. As disputas duraram de 776 a.C. até 393 d.C., quando o imperador romano Teodósio I se converteu ao cristianismo e proibiu qualquer tipo de adoração a deuses, terminando assim com as Olimpíadas, feitas em homenagem a Zeus e, por isso, consideradas uma manifestação dos rituais pagãos.

O declínio dos Jogos Olímpicos da Antiguidade, no entanto, começou quase 450 anos de seu fim definitivo. A Grécia foi invadida e se tornou parte do Império Romano em 149 a.C., período em que o conflito de culturas começou a colocar a tradição das Olimpíadas em risco.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

O golpe final foi dado pelo imperador Teodósio I, responsável pelo Édito de Tessalônica, que, em 380 d.C, estabeleceu que o cristianismo seria a partir de então a religião oficial do Império Romano.

ASCENSÃO DO CRISTIANISMO X JOGOS OLÍMPICOS

Imperador Teodósio foi o responsável pelo fim dos Jogos Olímpicos da Grécia Antiga
Moeda feita em homenagem ao imperador Teodósio I

Teodósio apenas sacramentou o que o imperador Constantino I começou em 313 d.C., quando percebeu a força crescente do cristianismo e resolveu usá-la politicamente a seu favor, proclamando o Édito de Milão, lei que garantia liberdade para cultuar qualquer deus, o que seria fundamental para a futura conversão total do império à religião.

Antes disso, os cristãos foram, durante muito tempo, impopulares em Roma por não adorarem o imperador e sim outro tipo de rei – Jesus -, o que era encarado como um ato subversivo. Mas nem isso impedia o cristianismo de ganhar seguidores, tornando-se logo a crença mais popular no império.

+ CONHEÇA O BLOG “CURIOSIDADES OLÍMPICAS”

Da proclamação do cristianismo como religião oficial do Império Romano ao fim dos Jogos Olímpicos, passaram-se 13 anos. Pouco antes, em 390, Teodósio I, conhecido por sua tirania e crueldade, determinou que o exército romano matasse dez mil gregos, que se manifestavam a favor da liberdade em Tessalônica.

FAVOR AO BISPO DE MILÃO

Após esse assassinato em massa, Teodósio I adoeceu gravemente e se curou com a ajuda e os conselhos de Ambrósio, o bispo de Milão. Com a saúde recuperada, o imperador, em sinal de gratidão, se colocou à disposição para atender qualquer solicitação que fosse feita pelo líder religioso.

Ambrósio então pediu que Teodósio abolisse os Jogos Olímpicos por conta de seu simbolismo pagão. O imperador atendeu prontamente e as Olimpíadas nunca mais foram disputadas na Grécia Antiga.

AGENDA DO DIA

Mais em Curiosidades olímpicas