Siga o OTD

Basquete

Em quarentena, atletas da seleção sentem falta da quadra

Presentes nas últimas listas de convocadas do técnico José Neto, as armadoras Débora e Alana e a ala Patty cumprem isolamento com treinos em casa

Débora jogadora de basquete
Débora, atleta do SESI Araraquara, é a armadora títular da seleção brasileira (Arquivo Pessoal)

As atletas da seleção brasileira Débora, Patty e Alana estiveram nas últimas duas competições oficiais da equipe feminina comandada pelo técnico José Neto. As três representaram o Brasil na AmeriCup 2019, quando a time ficou com a medalha de bronze, e no Pré-Olímpico de basquete, disputado na França, quando não conseguiu a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Por onde anda Rogerinho e como coronavírus adiou retorno às quadras

Com o fim da temporada de seleções, as jogadoras voltaram aos seus clubes para a disputa da Liga de Basquete Feminina (LBF), que começou no dia 8 de março. Entretanto, somente três partidas foram jogadas, já que o campeonato precisou ser paralisado devido à pandemia de coronavírus.

Treinos físicos e saudades das quadras

Sem jogos e treinos em quadra e na academia, as atletas da seleção cumprem quarentena e se viram com trabalhos em suas casas.

“Estou tentando manter minha rotina com os horários próximos de quando treinávamos na academia e na quadra. Com o suporte que nossa comissão técnica tem dado, facilita bastante. Assim, estou adaptando da melhor maneira, fazendo o máximo para manter a condição física. Os treinos que faço com bola, por exemplo, são dribles, passes e imitações de arremesso”, contou Débora, armadora do SESI Araraquara.

Uma das principais jogadoras do Vera Cruz Campinas, a ala Patty comentou sobre sua nova realidade. “A rotina tem sido bem diferente do dia a dia normal, mas nesse momento precisamos nos adaptar. Procuro fazer treinos aqui em casa mesmo, usando o peso do corpo, halter e a bola de basquete, para conseguir manter um condicionamento físico. É claro que não se compara aos treinos em quadra, mas é uma forma de manter o corpo em movimento”, apontou a jogadora.

Alana jogadora de basquete
Alana esteve na lista do técnico José Neto nas últimas duas competições (Arquivo Pessoal)

Já Alana, do Ituano Basquete, revelou que já viveu algo similar em outro contexto. “Já fiz treinos em casa outras vezes na minha vida, então não foi difícil de adaptar. Porém, é totalmente diferente do estímulo que temos na academia e nas quadras. Estou tentando manter uma rotina parecida com a que sempre tive. Sigo treinando duas vezes ao dia e às vezes faço um terceiro treino para gastar um pouco mais de calorias”, disse a atleta.

Atividades além dos treinos

As selecionáveis aproveitam a quarentena para realizarem outras atividades. “Estou levando esse tempo de isolamento de um jeito que eu consiga continuar treinando meu corpo, cuidando da minha mente e curtindo minha família”, resumiu Débora. Já Alana indica “meditação, treinos adaptados para fazer em casa, yoga, pilates e ler livros”.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Por fim, Patty enfatiza a importância das pessoas se cuidarem. “Nesse momento, o que todos devem fazer, não só nós atletas, é se cuidar, de preferência ficando em casa. Assim, logo poderemos voltar às nossas vidas normais”, finalizou.

Mais em Basquete