Siga o OTD

Jogos Sul-Americanos

Valéria Kumizaki será porta-bandeira no Sul-Americano

Valéria Kumizaki será porta-bandeira do Brasil no Sul-Americano
Washington Alves/Exemplus/COB

Valéria Kumizaki desfilará à frente da delegação brasileira no próximo sábado (26), na Cerimônia de Abertura dos Jogos Sul-Americanos.

O Brasil já definiu sua principal representante na Cerimônia de Abertura dos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018. Três vezes medalhista dos Jogos Pan-americanos, a carateca Valéria Kumizaki será a porta-bandeira do Time Brasil no desfile que será realizado no estádio Félix Capriles, na cidade boliviana, no próximo sábado (26). O Time Brasil em Cochabamba terá 316 atletas de 35 modalidades.

O anúncio da porta-bandeira foi realizado nesta quinta-feira (24), pelo chefe da Missão do Brasil, Marco La Porta. “A Valéria é uma atleta de altíssimo nível, sendo considerada uma das melhores do mundo em sua modalidade. É uma honra para a delegação brasileira ter como seu representante máximo na cerimônia de abertura uma atleta com tantas conquistas internacionais”, disse La Porta.
“A escolha de Valéria é também uma homenagem e incentivo para todos os atletas das modalidades que farão a estreia nos Jogos Olímpicos em Tóquio”, completou o chefe de Missão. O caratê, assim como o surfe, skate e escalada, vai estrear no Programa Olímpico em Tóquio 2020. Beisebol e softbol retornam à disputa olímpica no Japão.

Nos Jogos Sul-americanos Medellín 2010 a porta-bandeira do Brasil na Abertura foi a judoca Ketleyn Quadros. Em Santiago 2014, o ginasta Arthur Zanetti levou a Bandeira do Brasil.

A paulista Valéria Kumizaki, de Presidente Prudente, tem em seu currículo três medalhas em Jogos Pan-americanos: prata no Rio 2007, bronze em Guadalajara 2011 e ouro em Toronto 2015. Vice-campeã mundial em 2016, a atleta foi medalhista de ouro nos Jogos Mundiais de Caratê de 2017.

Em Cochabamba, Valéria disputa a sua quarta edição de Jogos Sul-americanos, tendo conquistado o ouro em Buenos Aires 2006. “Estou muito emocionada por ter sido escolhida a porta-bandeira da delegação brasileira. Vai ser um momento muito importante da minha carreira. Eu sempre me emociono nas cerimônias de abertura ou quando ouço o Hino Nacional”, disse Valeria Kumizaki, que está vivendo um ciclo muito especial, com a inclusão de sua modalidade no programa dos Jogos Olímpicos.

“Nós esperamos por isso há muito tempo. Nunca perdi a esperança da entrada do caratê no programa olímpico. É uma motivação muito grande para todos os caratecas. Acho que hoje ganhamos um incentivo a mais, com uma atleta da modalidade sendo escolhida como porta-bandeira da delegação do Brasil. Agora é fazer de tudo para conquistar a medalha de ouro aqui na Bolívia”, comemorou Kumizaki.

Boas-Vindas

Também nesta quinta, o Time Brasil foi recebido oficialmente na Vila Sul-americana de Cochabamba. Integrantes da delegação brasileira, entre atletas e oficiais, foram recebidos pelo prefeito da Vila e a Bandeira do Brasil foi hasteada ao som do Hino Nacional. “Agora foi dada a largada. Ver a Bandeira Brasileira ser hasteada na Vila nos mostra que a competição está para começar. A delegação já está mais robusta e estamos fazendo os ajustes finais para a participação do Brasil”, disse Marco La Porta, lembrando que a delegação brasileira terá cerca de 200 atletas na Vila ao final do dia.

O Brasil foi recebido em uma cerimônia junto ao Paraguai e Suriname. Moisés Duque, atleta do rugby, era um dos mais animados durante o evento de boas-vindas. “Eu me empolgo quando canto o Hino e vejo a Bandeira Brasileira sendo hasteada. É a hora que a gente se dá conta de que os Jogos estão começando. Estamos esquentando os motores e nos preparando para o início das disputas. Nosso objetivo é estar entre os melhores e chegar ao pódio”, disse o atleta.

Mais em Jogos Sul-Americanos