Siga o OTD

Basquete

A busca do basquete feminino pela igualdade de apoio

Mulheres brasileiras enfrentam diferenças gritantes em relação aos patrocínios e apoio de marcas de material esportivo

Brasil vence a Colômbia e agora pega a Argentina no Pré-Olímpico das Américas de basquete feminino
Erika comentou sobre a diferença entre homens e mulheres no basquete (Divulgação/CBB)

A diferença no tratamento entre homens e mulheres não está fora do mundo esportivo. Recentemente, a experiente pivô Erika da seleção brasileira feminina de basquete falou sobre essa discrepância entre atletas do masculino e feminino em entrevista ao “Estadão”. Por conta disso, o Olimpíada Todo Dia conferiu os números que comprovam a diferença entre os gêneros, aprofundando o tema levantado por Erika em uma série de matérias sobre o basquete feminino no Brasil e no mundo.

+ A escancarada diferença no patrocínio de homens e mulheres

Diferença com os atletas da seleção brasileira

Um dos pontos citados por Erika em sua entrevista ao “Estadão” é a falta de apoio das marcas para o basquete feminino.

Para criar um parâmetro entre a seleção masculina e feminina e tentar entender a situação descrita pela pivô Erika, a reportagem decidiu fazer um comparativo entre os atletas. Para isso, foi levado em consideração a seleção brasileira de basquete que defendeu o país na última competição oficial de cada gênero.

No masculino, o último torneio oficial da seleção brasileira foi a Copa do Mundo, disputada na China em 2019. Dos 12 jogadores que disputaram o torneio, 10 possuíam contrato de patrocínio ou parceria com alguma fornecedora de material esportivo.

Entre as mulheres, a última competição oficial foi o Pré-Olímpico Mundial de 2020, que a seleção brasileira disputou na França. Diferentemente do que acontece entre os homens, entre as 12 atletas convocadas para o torneio, apenas Damiris tinha contrato de parceria ou patrocínio com alguma marca de material esportivo.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

@Nike sempre fortalecendo 💪🏾. Obrigada @diego_garcia23 Uma honra fazer parte dessa Família Nike ❤️😘

Uma publicação compartilhada por Damiris Dantas (@dantasdamiris) em

É resultado que vocês querem?

Um dos mais importantes esportes do programa olímpico, o basquete possuí duas grandes competições de seleções em seu radar: o Campeonato Mundial (ou Copa do Mundo, como é chamado no masculino) e os Jogos Olímpicos. Se analisarmos os resultados do Brasil no masculino e feminino nas últimas três décadas, as mulheres têm mostrado melhor desempenho.

Em 1994, a seleção brasileira feminina de basquete fez história ao conquistar o título do Mundial disputado na Austrália. Dois anos depois, a equipe voltou a brilhar, com a medalha de prata na Olimpíada de Atlanta-1996. Quatro anos mais tarde, em Sydney-2000, voltaram para casa com o bronze.

Um pouco mais tarde, em 2011, a seleção brasileira formada por nomes como Damiris, Tássia e Isabela Ramona conquistou a medalha de bronze no Campeonato Mundial Sub-19, no Chile.

Neste mesmo período, a seleção brasileira masculina de basquete, seja adulta, sub-19 ou sub-17, não conseguiu subir ao pódio em nenhuma edição de Campeonato Mundial ou Jogos Olímpicos. Ou seja, nos últimos 26 anos o basquete do Brasil só conquistou medalhas nas grandes competições do mundo com as mulheres.

Palavra das atletas

Em entrevista exclusiva para o Olimpíada Todo Dia, Erika voltou a falar o que pensa sobre a relação das marcas com o basquete feminino. “Para falar a verdade, as marcas de material esportivo não olham para o basquete feminino. Eu acho que eles deviam olhar para a gente com um pouco mais de carinho, merecemos um pouco mais de carinho e igualdade. Queremos todos os direitos que o masculino”.

Presente na seleção brasileira desde 2017 e destaque nas últimas edições da LBF (Liga de Basquete Feminino), Raphaella Monteiro também foi direta ao comentar sobre o assunto. “Eu não tenho patrocínio. Sei que o cenário está mudando, em comparação ao que era feito antigamente, com a CBB fazendo tudo que pode pelo feminino. Mas as 12 que estão na seleção não terem patrocínio é errado. Entendo não patrocinar todas, mas nenhuma? Ajuda seis meninas, quatro, mas ajuda. Não queremos nada além de igualdade. Não espere a gente falar que está tudo bem, que está tudo certo, porque não é certo e não está tudo bem isso que acontece”.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Vale lembrar que, por conta do parceiro de material esportivo da seleção brasileira ser a Nike, normalmente, quando as equipes se reúnem para representar o país em competições oficiais, os atletas recebem alguns materiais.

Posição da marca

Parceira da CBB (Confederação Brasileira de Basquete) e do NBB (Novo Basquete Brasil) há alguns anos, a Nike tem seu nome e sua marca ligada a modalidade. Questionada pela reportagem do OTD sobre a questão reclamada pela pivô Erika, a fornecedora de material esportivo respondeu por meio de nota oficial, admitindo o cenário e ressaltando as iniciativas que realiza

“A Nike reconhece a lacuna existente na participação e incentivo às mulheres no esporte  – o que inclui o basquete feminino. No Brasil, a Nike apoia o basquete profissional há várias décadas e continuaremos com esses esforços por acreditarmos no poder do esporte como uma força que move o mundo para frente. Para estimular a prática esportiva e incentivar a nova geração de atletas, a Nike devolveu uma quadra poliesportiva na Vila Buarque, em São Paulo, totalmente revitalizada ao coletivo de basquete Magic Minas, que agora possui um espaço seguro e adequado para uso. Outra grande ativação foi com o Nike Battle Force, uma competição que tem como objetivo promover a cultura do basquete na cidade”.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Estamos clinicamente obcecadas por essa quadra! 💘 📸 @willkhalifaman

Uma publicação compartilhada por Magic Minas (@magicminas) em

Citada na nota oficial de resposta da Nike, a reportagem do Olimpíada Todo Dia tentou contato com o projeto de basquete feminino “Magic Minas”, mas não obteve nenhuma resposta até o fechamento desta reportagem.

Confira a nota oficial da Nike na íntegra

“A Nike reconhece a lacuna existente na participação e incentivo às mulheres no esporte  – o que inclui o basquete feminino. Por isso, procuramos remover barreiras para o acesso e crescimento do mercado, acelerando a cultura do esporte para mulheres de todo o mundo. No Brasil, a Nike apoia o basquete profissional há várias décadas e continuaremos com esses esforços por acreditarmos no poder do esporte como uma força que move o mundo para frente.

Para estimular a prática esportiva e incentivar a nova geração de atletas, a Nike devolveu uma quadra poliesportiva na Vila Buarque, em São Paulo, totalmente revitalizada ao coletivo de basquete Magic Minas, que agora possui um espaço seguro e adequado para uso. Outra grande ativação foi com o Nike Battle Force, uma competição que tem como objetivo promover a cultura do basquete na cidade. Pela primeira vez, o campeonato feminino foi realizado nos mesmos formatos que o masculino, em uma competição de 5 x 5 entre times de parques paulistanos e ligas amadoras.

Continuaremos ativando a comunidade global de milhões de pessoas – incluindo atletas de elite de todo o mundo e milhões de atletas* amadoras, esportistas do cotidiano. O objetivo final é fazer com que mais meninas e mulheres pratiquem esportes”.

AGENDA DO DIA

ago 14 03:00 CSI2* Riesenbeck Karina Johannpeter (CSI2*) ago 14 04:00 CSI2* Lier André Américo de Miranda (CSIYH1*, CSI2*); Fernando Penteado (CSI2*); Luís Antonio Neves (CSIYH1*, CSI2*); Maria Elisa Gonzaga (CSI1*); Nando de Miranda (CSIYH1*, CSI2*) ago 14 04:00 CSI3* Deauville Ana Elisa Aguiar Ramos (CSI1*); Eduardo de Menezes (CSI3*); Francisco Musa (CSI3*); Marlon Zanotelli (CSI3*); Pedro Muylaert (CSI3*) ago 14 13:00 Amistoso de futebol feminino Hellas Verona Internazionale ago 14 14:00 Open de Loulé de natação 1500 m livre masculino Fernando Ponte ago 14 14:00 Open de Loulé de natação 1500 m livre masculino Alexandre Finco ago 14 14:00 Open de Loulé de natação 1500 m livre masculino Diogo Vilarinho ago 14 14:00 WTA de Lexington Luisa Stefani (BRA)/Hayley Carter (EUA) Anna Blinkova (RUS)/Vera Zvonareva (RUS) ago 14 14:10 Open de Loulé de natação 800 m livre feminino Viviane Jungblut ago 14 14:25 Open de Loulé de natação 50 m costas masculino Guilherme Guido ago 14 14:30 Open de Loulé de natação 200 m borboleta masculino Leonardo Santos ago 14 14:35 Open de Loulé de natação 200 m livre masculino Murilo Sartori ago 14 14:35 Open de Loulé de natação 200 m livre masculino Fernando Scheffer ago 14 14:35 Open de Loulé de natação 200 m livre masculino Breno Correia ago 14 14:40 Etapa de Monaco da Diamond League Salto com vara Thiago Braz ago 14 14:40 Open de Loulé de natação 200 m peito masculino Felipe França ago 14 15:25 Open de Loulé de natação 4 x 200 m livre masculino Brasil ago 14 15:50 Founders Tribute at Longbow – Symetra Tour de golfe Luiza Altmann ago 14 23:00 NBA Philadelphia 76ers Houston Rockets

Mais em Basquete