Siga o OTD

Marcelinho Huertas e Anderson Varejão entraram em quadra neste sábado (10), na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, na preparação da seleção brasileira de basquete masculino para a Copa do Mundo da China. O Brasil venceu o Uruguai por 103 e 82 e encerrou a primeira fase da preparação visando a Copa do Mundo da China com duas vitórias.

Os jogadores terão o domingo de folga e se reapresentam na segunda-feira (12), no Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde embarcarão para Lyon. De 15 a 17 de agosto, a Seleção participará de um torneio na cidade francesa contra Argentina, a própria França e Montenegro. A delegação ainda disputará outros três amistosos já na China antes da estreia contra a Nova Zelândia, no dia 1º de setembro.

O JOGO

Ainda em fase de testes, Petrovic optou por um quinteto diferente neste sábado. Marquinhos, Huertas e Varejão entraram nos lugares de Alex, Didi e Cristiano Felício. Caboclo e Rafa Luz completaram o time titular. Apesar das três alterações em relação à partida de quinta, a Seleção começou com a mesma intensidade e em pouco mais de dois minutos já vencia por 12 a 0. Os primeiros pontos do Uruguai vieram das mãos de Rodriguez, com uma bola de três a 6’51 do fim do primeiro período. E foram as bolas de três que recolocaram os visitantes em jogo. Com oito chutes convertidos em 11 tentadas e um aproveitamento de 72%, os uruguaios chegaram a diminuir a diferença para apenas quatro pontos. Mas liderado por Huertas, com 10 pontos e quatro assistências, e Varejão, que anotou nove pontos e cinco rebotes, o Brasil segurou a liderança e venceu o primeiro quarto por 35 a 27.

Petrovic trocou por atacado e começou o segundo período com um quinteto todo modificado. Com Yago, Benite, Didi, Augusto Lima e Felício, a Seleção voltou mais ligada e aumentou a vantagem para 13 pontos a 5’41 para o fim do primeiro tempo. O técnico uruguaio parou o jogo, mas de nada adiantou. Encurralado pela defesa brasileira, os visitantes amassavam o aro enquanto as bolas de três do Brasil começaram a cair. Foram quatro ao todo: duas de Benite e duas de Yago, cestinha do período com 9 pontos. A diferença chegou a ser de 20 a favor do Brasil, mas os uruguaios diminuíram o prejuízo e foram para o vestiário perdendo por 57 a 40.

Com a mesma formação que iniciou a partida, o Brasil voltou disposto a resolver a parada rapidamente. Embora os uruguaios não oferecessem muita resistência, a Seleção não deixava o ritmo cair. Com uma defesa forte e uma pontaria afiada no ataque, a diferença chegou a ser de 27 pontos. Se as bolas de três não eram tão mortais como na primeira etapa, as enterradas levantaram o público que compareceu em bom número ao Mangueirinho. Foram duas de Didi e uma de Caboclo.

Com o jogo praticamente decidido, Petrovic, que optou em poupar Alex Garcia e não pôde contar com Hettsheimeir e Leandrinho, que tiveram uma intoxicação intestinal, sacou Huertas, Caboclo e Varejão. Mesmo sem alguns de seus principais nomes em quadra, a Seleção não tirou o pé do acelerador e manteve a diferença na casa dos 20 pontos até o final do jogo.

“Tivemos uma primeira fase de preparação muito positiva. Entendemos que quando ganhamos com mais de 50 pontos em um jogo, a tendência é voltarmos mais confiantes, e isso acaba perdendo a intensidade na partida. Com isso, sei que temos que melhorar na defesa e tentar ser mais consistentes nos 40 minutos”, avaliou o treinador Aleksandar Petrovic.

“Esses dois jogos foram importantes pra gente pegar ritmo e entrosar a equipe. Os próximos desafios serão mais intensos e precisamos consertar os erros para encarar o que temos pela frente”, declarou o ala Marquinhos.

Mais em Basquete