Siga o OTD

Basquete

“Fomos Flamengo”, afirma Gustavinho; “só 1 a 0”, fala Alexey

Técnico Gustavinho enaltece a partida feita pelo rubro negro no primeiro jogos das finais da NBB. Armador diz que Franca está vivo

Vantagem de mando é o time francano (Fotojump/LNB)

O ponto forte do Flamengo durante toda a temporada do NBB foi a defesa. Na primeira final contra o Sesi Franca Basquete, no domingo (19), a marcação apareceu de novo na vitória rubro negra por 82 a 68. “Fomos Flamengo”, disse o técnico Gustavo De Conti, o Gustavinho. Do outro lado, o armador Alexey avisa: “está só 1 a 0”.

“O fator fundamental foi a entrega dos nossos jogadores. Fomos Flamengo. Disputamos bola e fizemos tudo que o momento pedia, mas o Flamengo tem essa coisa a mais do que os outros. Hoje fomos Flamengo, e essa atitude dos jogadores foi o fator primordial para conseguirmos limitar o Franca em 68 pontos”, afirmou Gustavinho.

Um exemplo foi Anderson Varejão, e uma imagem que marcou foi o pivô dando um toco no armador Alexey e, logo após, se jogar para fora da quadra para tentar recuperar a bola e caindo sobre uma mesa com galões de água. A torcida do Flamengo no ginásio do Maracanazinho foi ao delírio.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Tem que deixar TUDO em quadra! Vale até quebrar a mesa né, @andersonvarejao18?! . #FinaisNBB #NBBCAIXA

Uma publicação compartilhada por NBB CAIXA (@nbb) em

“Alguns lances enalteceram muito isso (raça). Algumas bolas no chão foram nossas, até bola fora da quadra foi nossa. Taticamente soubemos travar um pouco o jogo de transição deles. É impossível parar tudo que o outro time faz de bom, mas tentamos limitar um pouco o jogo rápido do Franca e no fim conseguimos”, acrescentou o técnico do Flamengo. “Uma das maneiras para fazer isso foi ir mais devagar para o ataque e a outra foi participar fortemente do rebote ofensivo”.

Com médias de 70,7 pontos sofridos por partida, o rubro-negro detém a melhor defesa da competição com sobras – cinco pontos a menos que a do Pinheiros, segunda melhor do campeonato -, e no Jogo 1 das Finais da NBB fez valer dessa força contra o Sesi Franca Basquete.

Em ação contra o melhor ataque da competição (87,7 pontos por partida), o Flamengo conseguiu reduzir a produção ofensiva do rival em quase 20 pontos (68).

Com 23 pontos no jogo, o ala/pivô Olivinha também destacou a ação defensiva do time. “Tivemos uma defesa forte durante os 40 minutos, desde o início, pois sabemos que quando Franca começa o jogo ganhando confiança no ataque, todos eles têm características ofensivas muito fortes e isso poderia nos complicar”, disse.

“Está só 1 a 0”

Apesar da atuação bem abaixo do habitual na temporada, o Sesi Franca Basquete teve alguns pontos positivos na partida, entre eles o bom desempenho do jovem armador Alexey, mesmo vindo do banco. Para ele, nada está decidido.

Vindo do banco, Alexey foi um dos destaques do Franca no Jogo 1 (Fotojump/LNB)

“Precisamos consertar nossos erros para o próximo jogo. Eles fizeram o dever de casa, mas está só 1 a 0. Tem muita coisa para acontecer ainda e a série está totalmente aberta”, disse o armador Sesi Franca Basquete, que possui a vantagem do mando de quadra e terá dois jogos em sequência em seu ginásio.

Nos 18 minutos em que esteve na quadra no jogo 1 das Finais da NBB, Alexey conseguiu contribuir com 15 pontos (5/5 nos arremessos de 3), além de dois rebotes, duas assistências e 14 de eficiência – a maior do time.

Outro dado interessante sobre a atuação do armador francano é o do +/-, que mede o saldo das equipes no período em que certo atleta esteve em quadra. Foi um dos poucos de Franca que conseguiu ficar “positivo” em quadra (5), junto com Rafael Hettsheimeir (3).

“Acho que a entrada dos jogadores do banco foi um reflexo do que aconteceu durante toda a temporada. Temos um elenco grande que consegue substituir bem e manter o nível, além de mudar um pouco o ritmo do jogo”, disse Alexey.

Em sua quinta participação no NBB na carreira, todas com o Franca Basquete, Alexey divide a armação da equipe com Elinho e possui boas médias na atual temporada: 7,7 pontos, 3,5 assistências e 10,6 de eficiência.

Sempre muito consciente, armador destacou dois fatores cruciais na derrota para o Flamengo no Jogo 1 da decisão da NBB. “Tivemos várias dificuldades. Tivemos muitos problemas no rebote defensivo e eles conseguiram um número muito alto nos ofensivos. Não tivemos muita variação no ataque, ficamos muito reféns do arremesso de 3 pontos, algo que fez parte da estratégia deles, com uma defesa muito fechada, não permitindo nossas infiltrações”, avaliou o armador.

O Jogo 2 da série entre Sesi Franca Basquete e Flamengo será nesta quinta-feira (23), no Ginásio Pedrocão, em Franca (SP).

Mais em Basquete