Siga o OTD

Tóquio 2020

Eduardo de Deus treina para Tóquio com saudade das barreiras

Garantido no atletismo dos Jogos de Tóquio, o atleta mantém preparo físico mesmo sem poder fazer treinos técnicos por causa da pandemia

Eduardo de Deus Atletismo Barreiras Tóquio
Eduardo de Deus espera que as competições retornem no segundo semestre de 2020 (Wagner Carmo/Panamerica Press/CBAt)

Eduardo de Deus é um dos atletas brasileiros garantidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que mudou de 2020 para 2021 devido à pandemia de coronavírus. Ele se classificou para representar o Brasil na prova dos 110 metros com barreiras. Sem poder fazer treinos específicos de atletismo, o corredor admitiu sentir saudades das pistas e das barreiras.

+ Ygor Coelho: “inspiração é ajudar a outras pessoas”

“Minha vontade é grande por estar tanto tempo parado, longe das pistas, longe das minhas barreiras. Quero muito que as competições retornem no segundo semestre. Vou estar bem preparado e o meu treinador vai me colocar em condições. Fica o pensamento positivo não só para 2020, mas também para a Olimpíada de Tóquio em 2021”, afirmou Eduardo de Deus.

O atleta, que tem 24 anos, nasceu em Campinas e é treinado por Katsuhico Nakaya. Por causa do isolamento social, o competidor só tem feito exercícios com peso, em sua casa, em São Paulo, e começou a correr em um campo de futebol de seu bairro há pouco tempo.

+ Agenda de lives esportivas da semana – 4 a 10 de maio

“Estava fazendo exercícios de fortalecimento em casa nas primeiras semanas para não ficar completamente parado. Agora estou indo a um campinho pequeno perto de onde moro para ‘rodar’ um pouco, já visando a volta aos treinamentos normais”, lembrou o atleta, que integrou a seleção brasileira no Campeonato Mundial de 2019, em Doha, no Catar.

Planejamento indefinido

Eduardo de Deus Atletismo Tóquio Barreiras
Eduardo de Deus é treinado pelo técnico Katsuhico Nakaya (Wagner Carmo/Panamerica Press/CBAt)

Eduardo de Deus se qualificou para Tóquio no atletismo ao registrar 13s30, seu recorde pessoal na prova dos 110 m com barreiras. O corredor alcançou essa marca no Meeting de Chaux de Fonds, na Suíca, em junho de 2019.

+ Relembre 5 medalhas ‘esperadas’ do Brasil em Olimpíadas

O atleta campineiro fechou a temporada passada em segundo lugar no ranking brasileiro de atletismo, atrás apenas de Gabriel Constantino, recordista sul-americano, que correu a prova em 13.18, em Székesfehérvár, na Hungria.

Enquanto aguarda por definições sobre o calendário, o medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 segue as orientações de seu treinador. Katsuhico Nakaya considera fundamental manter seu comandado em atividade para quando regressarem as competições.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

“Para poder definir o planejamento para o segundo semestre, precisamos esperar a definição do calendário de competições. Enquanto não sair essas definições, mantemos os atletas em atividade, mais para manter a forma física”, explicou Nakaya.

Mais em Tóquio 2020