Siga o OTD

Atletismo

De olho em Lima, Augusto Dutra sonha com a medalha de ouro

Evoluindo com os treinamentos no Pinheiros, atleta do salto com vara garante: “estou muito melhor do que antes”

Em 2007, no Rio de Janeiro, Fábio Gomes da Silva alcançou o primeiro lugar e faturou a medalha de ouro no salto com vara dos Jogos Pan-Americanos, o melhor desempenho do Brasil na modalidade. Antes, eram somente dois bronzes na conta. Aos 29 anos de idade, Augusto Dutra registra resultados importantes nas últimas competições que disputou e sonha com o título em Lima. Em entrevista exclusiva para o Olimpíada Todo Dia, ele comemorou o retrospecto recente antes do primeiro Pan da carreira.

Augusto Dutra conquistou três ouros consecutivos em torneios relevantes pelas Américas: Jogos Sul-Americanos e Campeonato Ibero-Americano, em 2018, além do Campeonato Pan-Americano nesta temporada. Vem mais por aí? “As minhas expectativas para os Jogos Pan-Americano são excelentes. Eu estou fazendo uma boa sequência de competições. Estou voltando da Europa, saltei 5m71 duas vezes, que é o índice do Mundial desse ano. Eu estou me preparando muito bem. Estamos confiantes em trazer uma medalha de ouro para o Brasil”.

“Esse está sendo o meu primeiro Pan. Eu estou muito bem preparado. Estou bem ansioso, não sei ainda como é uma competição desse nível. Já fui para a Olimpíada, mas os Jogos Pan-Americanos era a única competição que faltava para eu competir”, completou.

Com a marca de 5m75 em 2019, Augusto Dutra garantiria vaga no pódio em todas as edições do Pan. Só não ficaria com a medalha de ouro em Guadalajara 2011 e Toronto 2015. A expectativa é de que o atleta brigue diretamente pelas primeiras posições, a exemplo do compatriota Thiago Braz. “Em Bragança Paulista teve o Grande Prêmio Brasil de atletismo. Foi um marco muito importante para mim. Eu voltei a saltar muito melhor do que antes. Foi o meu segundo melhor resultado dentro de um GP. Foi o ápice do meu salto nesse ano. Fiz 5m75. O meu melhor é 5m82. Estou chegando cada vez mais próximo do meu melhor resultado”.

A crescente e o bom momento vivido nas últimas temporadas andam ao lado dos trabalhos exercidos no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. “Depois da Olimpíada, eu voltei a saltar e deu uma abaixada no meu treinamento. Entrei para o Pinheiros e o meu resultado foi totalmente o oposto do que estava sendo. Melhorei muito, estou muito melhor do que antes. Quando eu tinha um bom resultado, agora está muito melhor. Por toda a estrutura que o Pinheiros tem me dado, por todo o treinamento do meu técnico de salto com vara, que me colocou de volta para saltar alto. Estou muito melhor do que antes”.

Mais em Atletismo