Siga o OTD

Paralímpicos

Fã e pupila, aluna do Centro de Formação brilha no atletismo

Com a medalhista paralímpica Verônica Hipólito de inspiração, Marcelly Pedroso dá os primeiros passos no atletismo

Ale Cabral/CPB

No último domingo, dia 9, Marcelly Pedroso, de 16 anos, conquistou prata nos 100m e nos 200m na classe T37 na primeira etapa Nacional do Circuito Brasil de Atletismo. A paulistana teve contato com a modalidade pela primeira vez no Centro de Formação Esportiva em esportes paralímpicos, pelo qual começou a treinar há apenas seis meses.

A iniciativa do Comitê Paralímpico Brasileiro promove a iniciação de crianças e adolescentes entre 10 e 17 anos com deficiência visual, física ou intelectual. As atividades são realizadas no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

Marcelly teve paralisia cerebral que afetou todo o lado direito do seu corpo. Ela comentou a sensação de subir ao pódio no Circuito Brasil de Atletismo: “Foi demais ter conquistado essa medalha. E eu ainda consegui abaixar meu tempo de 34.40s para 33.40s. Fiquei muito feliz e, daqui para frente, é isso que eu quero. Alcançar resultados cada vez melhores e construir uma carreira. Quem sabe, daqui cinco anos, estarei nos Jogos Paralímpicos?”

O Circuito foi especial para a jovem atleta também por outro motivo: sua ídola, a atleta Verônica Hipólito, que também estava competindo, a presenteou com um par de tênis durante a competição. “Desde que eu entrei aqui, ela esteve sempre me apoiando no atletismo. Ela é incrível e uma referência para mim.”

Verônica Hipólito conquistou prata e bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Em 2009, a atleta sofreu um AVC que paralisou o lado direito do seu corpo. Começou no atletismo como forma de reabilitação. Em maio de 2018, Verônica passou por uma cirurgia de risco por causa de um tumor no cérebro. Ela voltou a sua rotina de treinos no fim do ano e agora, retorna às competições.

“Eu e a Marcelly ficamos conversando pelo Instagram muitas vezes, a gente também conversa bastante pessoalmente. Eu pego muito no pé dela na saída e fico muito feliz de, nesse retorno, ela estar na mesma bateria que eu e de ela não ter abaixado a cabeça. Sei que, ao mesmo tempo que ela torceu por mim e queria o meu melhor, ela também deu o seu melhor. Ela é focada e quer fazer história e eu fico muito feliz com isso”, conta a atleta de 23 anos.

“Quando eu era mais nova, às vezes queria receber um incentivo de pessoas que eu admirava e não recebia, mas os mais importantes pra mim, meu pai e minha mãe, ainda me dão muito incetivo, como um grito, um abraço ou um “confiamos em você”. Então, à minha maneira, eu quis fazer o mesmo para a Marcelly continuar, porque eu confio nela. Se eu inspirar as pessoas sendo quem eu sou, inspirar gentiliza, bondade, coragem e resiliência, eu já estou feliz.”

Podem participar do Centro de Formação Esportiva crianças com deficiência física, visual ou intelectual, de 10 a 17 anos, residentes na cidade de São Paulo ou municípios vizinhos e que estejam matriculadas em rede de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail [email protected], contendo a ficha de inscrição ou pessoalmente no CT Paralímpico (Rodovia dos Imigrantes, km 11.5, São Paulo), com o departamento de Coordenação de Esporte Escolar.

AGENDA DO DIA

Mais em Paralímpicos