Siga o OTD

Alex PIRES

NASCIMENTO
SAPIRANGA/RS
IDADE
30
ALTURA
1,80m
PESO
67kg
PARALIMPÍADA
1
PARAPAN
CLUBE
SOGIPA/BRA
MUNDIAIS
Londres 2017(Maratona T46)
Lyon 2013(1500m T46)
Lyon 2013(5000m T46)
Doha 2015(1500m T46)
Londres 2015(Maratona T46)
Lyon 2013(800m T46)
Gaúcho de Sapiranga, cidade localizada a 60 km de Porto Alegre, Alex Pires sempre teve paixão por esportes. Jogou futsal até 2007, ano em que descobriu uma nova paixão: as “rústicas” - como são chamadas as corridas de rua no Rio Grande do Sul. Se inscreveu, como quem não quer nada, em uma prova de 2400 metros e sem treinar, acabou vencendo a prova.
A partir daí, Alex foi picado pelo mosquito da corrida e tomou gosto pela coisa. Teve alguns bons resultados no início da carreira correndo provas de 5km e 10km. Ficou quatro anos treinando antes de entrar no esporte paralímpico. Em seu primeiro ano, já foi líder do ranking nacional nas provas de 1500m, 5km e 10km na categoria T46.
Essa foi a deixa para Alex começar a buscar competições de nível mundial. Deixou de lado as provas de rua de média distância e passou a focar nas provas de meio-fundo nas pistas – 800m e 1500m – e nas maratonas, a partir de 2014.
Começava aí a história de Alex Pires no esporte paralímpico. No Mundial de Atletismo Paralímpico de 2013, Alex foi vice-campeão dos 1500 e 5000 metros e ainda conquistou um bronze nos 800 metros. Dois anos depois, repetiu a prata nos 1500m e conquistou a sua primeira medalha em maratonas.
A partir de 2016, Alex passou a focar somente em maratonas, prova que exige muito esforço e sacrifício de qualquer atleta. Em 2017, a consagração: Concluiu os 42km da maratona em 2h28min29, tempo que nenhum outro atleta conseguiu bater.
O campeão mundial na terra da rainha tem uma paralimpíada no currículo. Na Rio 2016, se sentiu mal e teve de abandonar a prova quilometro 25, quando estava em terceiro lugar. Felizmente, Alex terá a chance de dar a volta por cima em Tóquio. Em dezembro de 2019, correu a maratona de Málaga, na Espanha, em 2h27min36, marca mais de três minutos inferior ao índice olímpico de 2h30min52, carimbando assim, seu passaporte para o Japão.